Uma speaker profissional deixa quatro conselhos sobre como moderar um painel de debate eficazmente.

À medida que vai subindo na carreira, a sua visibilidade e credibilidade dentro da área em que atua vai crescendo. A partir do momento em que atinge um patamar elevado, é provável que seja convidado para participar em conferências ou seminários para debater assuntos relacionados com o setor profissional em que está inserido. Por norma, os painéis de discussão costumam ser ótimas oportunidades para ouvir os insights dos mais prestigiados especialistas em determinada área. Mas, esta pode ser, por vezes, uma situação stressante – mesmo para os profissionais mais experientes.

Contudo, mais stressante que isto, é ser moderador de um painel com grandes nomes. Além de ser responsável pela ordem e pelos temas trazidos para debate, também tem de tornar a conversa interessante para a plateia.

Foi com o intuito de ajudar os menos experientes neste campo que Dorie Clark, marketing strategist e autora de livros como “Entrepreneurial You” e “Reinventing You”, escreveu um artigo para o Harvard Business Review com quatro conselhos. Para além de marketeer e autora, Clark é speaker profissional e faz mais de 50 apresentações anuais em empresas e conferências.

Contacte o painel com antecedência
A primeira estratégia passa por preparar o painel de pessoas que vai ter consigo. Por norma, o objetivo de um painel não é apanhar as pessoas desprevenidas, mas sim dar-lhes os temas que vão ser abordados para trazerem conteúdo preparado. Isto pode ser feito através de um simples email, telefonema ou mensagem via LinkedIn (caso não tenha o contacto da pessoa pode sempre pedir à organização do evento).

O seu objetivo é dar uma ótima experiência à audiência
Enquanto moderador, um dos desafios mais frequentes vai ser interromper os participantes que estão em formato monólogo e não deixam espaço para os restantes membros participarem. A situação pode ser constrangedora pelo receio de ofender o orador, especialmente se for alguém conhecido da sua área. Mas tem de ter em consideração que o seu papel é dar uma ótima experiência à audiência. OU seja, o valor que pode levar às pessoas da audiência, que contam consigo para ser um bom mediador da conversa, está acima do ego dos membros do painel.

Clark sublinha que se o evento quisesse alguém para fazer um monólogo dar-lhe-ia um espaço sozinho e não o colocaria num painel de discussão. Para cortar o discurso de forma discreta, e não parecer rude, a speaker profissional, aconselha que o moderador capture a atenção do painel com um gesto e um elogio. Por exemplo: “Muito bem pensado, Luís. Também gostava muito de ouvir as ideias da Maria sobre este tema”.

Não tenha medo de utilizar o poder que lhe foi concedido
É frequente os moderadores dos debates sentirem-se pouco confortáveis nesse papel. Um sintoma disso é a pouca proatividade na mediação da discussão. Nessa situação é comum fazerem uma pergunta geral para o painel inteiro, sem a direcionar para alguém em concreto. Quando isso acontece, são frequentes dois cenários: ou o membro mais agressivo do grupo toma as rédeas e começa a falar, ou gera-se um silêncio constrangedor. Outra possibilidade, igualmente usual, é haver uma ordem específica para todas as questões. Segundo Clark, esta opção também vai aborrecer a audiência.

Para tornar a discussão mais dinâmica, o especialista sugere que o moderador dirijam as perguntas a um membro em concreto – aquele que sabe mais sobre o assunto em questão – e que vá alternando entre os membros do painel. Se a “Pessoa A” disser algo de negativo sobre os fundadores de start-ups tecnológicas e se a “Pessoa C” tiver criado um projeto deste género há pouco tempo, não pode esperar que a discussão passe pela “Pessoa B”, visto que vai acabar por perder uma boa oportunidade de introduzir uma discussão acesa.

O moderador faz o papel de interlocutor
O último conselho de Clark: o moderador tem de ser um bom interlocutor. Isto significa que se alguém disser algo confuso, ou interessante, tem de dar seguimento à discussão, fazendo questões como “o que quer dizer com isso?”, “diga-me mais” ou “pode explicar-nos esse ponto em maior detalhe?”.

Moderar um painel pode ser difícil, mas lembre-se que a audiência do evento está a contar consigo para ver algumas das questões mais fraturantes respondidas.

Comentários

Sobre o autor