Recentemente, participei no evento “Directions 2017”, organizado pela IDC Portugal. Claramente, estamos num período de rápidas mudanças, em termos de tecnologia disponível, para fazer evoluir as organizações, de forma mais eficaz e personalizada.

O evento reuniu mais de 2 mil profissionais, de vários sectores de atividade em Portugal, desde a área de energia, a telecomunicações, tecnologias de informação, soluções na cloud, entre outras empresas.

O facto é que estamos na era da transformação digital e esta terá um impacto profundo e estruturante, em todas as áreas de negócios. Um dos denominadores comuns é a mobilidade, do qual destaco a importância dos dispositivos móveis.

Estamos perante uma mudança profunda da sociedade, em que o telemóvel passou a ser o dispositivo central na interação entre as empresas, bem como entre os serviços ou marcas e os seus consumidores e utilizadores.

Por exemplo, a banca móvel veio dispensar a necessidade de balcões, e a contratação de serviços online é uma realidade, como o aluguer de viaturas ou a reserva de hotéis. Cada vez mais, o telemóvel é o dispositivo principal para gerir as atividades diárias.

Os principais benefícios do Mobile Marketing explicado:

Aplicações móveis: Tendo em conta que uma aplicação móvel pode usar as várias funcionalidades do dispositivo, como a localização (GPS), a câmara, o envio de notificações diretamente para o cliente e o próprio registo dos dados pessoais, este é, de facto, o principal meio para a transformação digital. Inclusive na componente legal dos contratos, como é o caso dos serviços de aluguer de viaturas ou o modelo de Car Sharing. Através da app, o cliente pode tirar fotografias dos documentos de identificação (BI ou passaporte) e da carta de condução. E após a validação das empresas, o processo burocrático fica concluído. De uma forma rápida e fácil, o contrato é validado, sem ter de ir a um balcão. Deste modo, os telemóveis permitem criar novas formas de relacionamento, entre as entidades e os seus consumidores.

Media paga para visualização móvel: Considerando que mais de metade do consumo de internet já é feito nos dispositivos móveis, a relevância de compra de media neste meio é essencial. Desde a compra de espaço de media nas redes sociais, assim como nos motores de busca, incluindo as redes de afiliados, cada vez mais é importante a compra de meios no mobile.

SMS marketing com landing pages: O SMS permite um alcance e percentagem de abertura mais elevados, do que o e-mail marketing. Além disso, o mobile também possibilita a abertura de landing pages e a utilização de “call to actions”, essenciais na conversão de leads: como ligar de imediato, contactar o call center de uma marca ou comprar um produto ou serviço.

E-mail marketing: Mais de 50% dos e-mails são lidos no telemóvel, por isso é importante ter em conta aspectos como a experiência de navegação e o conteúdo ser adaptado à leitura no telemóvel.

QR Codes: Cada vez mais usados e a ganhar relevo, assim que o iOS passou a ler, automaticamente pela câmara, os QR Codes permitem a abertura de links para landing pages de conversão.

Instant messaging: Ao estabelecer o contacto com a marca, através do Skype, Facebook messenger ou outras formas de “instant messaging”, passa a criar um canal pessoal de ligação imediata. O que irá possibilitar, no futuro, a aquisição de serviços e produtos, mas também a utilização de bots para responder às questões mais comuns, de forma automática.

Por isso, não se esqueça de incluir o mobile marketing na estratégia de marca, de forma a transformar a relação digital entre a empresa e os seus consumidores.

Comentários

Sobre o autor

Filipe Mendes

Filipe Mendes tem mais de 15 anos de experiência em telecomunicações e mobile marketing, tendo trabalhado em empresas como Go4Mobility, Telelink e Mobbers, em Portugal, Moçambique e Noruega. É Licenciado em Relações Públicas pela Leeds Metropolitan University, no Reino Unido. Atualmente é Managing Partner da TargetEveryone Portugal, empresa sueca cotada em bolsa na NASDAQ (TEONE), especializada em Marketing Digital.