A MetLife está à procura de start-ups da área insurtech que queiram escalar os seus negócios a partir do programa “collab 3.0 EMEA”.

O objetivo é ajudar a escalar negócios da área da tecnologia aplicada aos seguros (insurtech), ao mesmo tempo que contribuem para a resolução de alguns dos maiores desafios de inovação da MetLife nas operações que se estendem pela Europa, Médio Oriente e África.

Em jogo está um contrato de 100 mil dólares (cerca de 80 mil euros). As insurtechs terão de desenvolver soluções destinadas à cadeia de valores do setor dos seguros, em áreas como a interação e fidelização dos clientes e vendas e operações. As start-ups terão ainda a possibilidade de experimentar as soluções em contexto real com a MetLife EMEA.

Depois de um rigoroso processo de seleção, a MetLife determinará oito finalistas para integrarem a equipa de colaboradores para que possam contribuir para o desenvolvimento das suas soluções.

A iniciativa foi criada pelo centro de inovação da MetLife na Ásia, o LumenLab. Contando já com duas edições anteriores, que aconteceram em Singapura e no Japão, este programa atraiu 250 participações de insurtechs de mais de 35 países.

“Levamos muito a sério a transformação do sector dos seguros e a forma como interagimos com os nossos clientes, mas sabemos que não podemos fazê-lo sozinhos. Nunca se pode inovar de forma mais rápida que o mercado. Por isso, estamos a construir um ecossistema mais forte para o futuro, envolvendo insurtechs através de programas como o collab”, referiu Zia Zaman, CEO do LumenLab e diretor de inovação da MetLife Asia, em comunicado.

Até à data já foram concedidos mais de 500 mil dólares em contratos através do programa. Os finalistas vão ser convidados a participar na Collab Summit EMEA e no demo day em Londres, nos dias 11 e 12 de julho deste ano, onde vão poder apresentar as suas soluções. O grande vencedor será anunciado neste evento.

As candidaturas estão abertas até dia 20 de abril. Para se inscrever siga para a página oficial da iniciativa.

Comentários