A Lockdo está à procura de um mentor, parceiros e investidores para poder aumentar as margens de lucro das mochilas que desenvolveu.

Pensada após uma má experiência turística, a Lockdo nasceu da necessidade de proteger as mochilas dos possíveis carteiristas e ladrões, como nos conta a fundadora do projeto, Telma Castro. “Numa época em que estava a trabalhar em França, fui passar um fim de semana com amigas a Paris. No trajeto de metro, de Pompidou para o nosso hotel, entramos todas com as nossas mochilas cheias de garrafas de água, sanduíches, prendinhas, telemóveis, go pro’s e todos aqueles itens que ficam para sempre perdidos nas malas de senhora, especialmente quando se viaja! Saímos descontraidamente na nossa paragem e entre risos, reparamos que uma de nós não tinha: nem carteira, nem telemóvel, nem máquina fotográfica…ela tinha sido mais uma vítima dos habilidosos e insuspeitos carteiristas e das suas mãos talentosas! Passei horas a remoer este incidente!… Porque é que as mochilas existem?! Porque que se continua a utilizar um produto que não só permite que este tipos de situações ocorram mais facilmente como as potencia?! Porque é que as mochilas permitem um acesso mais fácil ao seu conteúdo a todas as pessoas (especialmente aos carteiristas) que ao próprio utilizador? Até que… se fez luz! Descobri como resolver este problema! E era tão simples…”

O produto
A solução passaria por uma mochila antirroubo. Em vez de ter bolsos por fora, à mão de qualquer pessoa, as DO mantêm o interior inacessível a possíveis ladrões e carteiristas.

Isto foi conseguido ao colocar os fechos colados às costas do utilizador. Desta forma, sempre que estiver a ser utilizada, é impossível ter acesso ao seu interior.

O objetivo desta start-up passa por assegurar um design e uma ergonomia adaptada às necessidades de cada utilizar.

O que procura
Tendo em conta as dificuldades de produção deste tipo de bens em Portugal, a Lockdo procura investidores para poder criar a sua própria fábrica, de forma a aumentar as margens de lucro.

Com esta possível ajuda, a start-up quer ainda estender o modelo de negócio para o fabrico deste tipo de produtos com o objetivo de se diferenciarem “por terem uma fábrica jovem e acessível, apta a servir necessidades de clientes grandes ou pequenos”.

Para além do investimento, existe ainda a necessidade de encontrar um mentor e parceiros que potenciem um contacto B2B, com o objetivo de escalar as vendas e a visibilidade.

Mercados e maiores dificuldades
Sendo uma mochila antirroubo desenhada especialmente para quem se desloca em transportes públicos ou viaja, o público-alvo será o típico cidadão europeu.

Como dificuldades, a start-up está a encontrar a falta de penetração no mercado via redes sociais e o aumento da concorrência, que está a fabricar o mesmo tipo de produto na China, praticando preços “complemente incomportáveis” para a Lockdo.

Telma Castro LockdoResumo:
Responsável:
Telma Castro, fundadora.
Área:
Acessórios.
Produto:
Mochila antirroubo.
Mercado:
Europeu.
Necessidade:
Investimento, parcerias e mentores.
Contactos:
lockdo.info@gmail.com

Comentários