O sonho comanda a vida. Que o diga a Rita Lagartinho que tem 21 anos e, apesar de sofrer de paralisia cerebral, tem uma mão cheia de sonhos para concretizar. A começar pelos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020.

Há limitações que nos tornam mais fortes, que nos fazem acreditar no impossível e que são o testemunho da nossa força. A Rita Lagartinho é disso exemplo. A Rita tem 21 anos, sofre de paralisia cerebral e estuda Artes e Humanidades, com variante em comunicação e cultura, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Atualmente é também atleta de paradressage. Como uma lutadora que é, a Rita tem um sonho: ir aos Jogos Paralímpicos 2020. Mas para concretizar o seu sonho, precisa de apoio financeiro e patrocínios.

O seu gosto pelos cavalos e pela disciplina da equitação começou a crescer quando iniciou a prática de hipoterapia por recomendação médica. “Em 2010 ingressei no Centro Equestre João Cardiga e descobri o outro mundo da equitação. Uma equipa fabulosa mostrou-me que as limitações físicas não são um entrave para a competição equestre. Sou uma amante de desporto e, por isso, a possibilidade de transformar uma atividade terapêutica numa atividade desportiva e competitiva deixou-me bastante entusiasmada”, contou a jovem ao Link To Leaders.

Assim, ainda no âmbito da Equitação terapêutica, começou a participar em algumas provas. “Senti a adrenalina da competição e percebi que é possível vencer obstáculos”, explica.

No ano de 2014, propuseram à Rira que integrasse a equipa de Paradressage do Centro Equestre João Cardiga. Foram tomadas as devidas diligências para esta “aventura”, nomeadamente, a adaptação de uma cela e a inscrição em provas CDN e Poule. O Centro proporcionou ainda acesso a uma égua, tendo a jovem passado a treinar quatro dias por semana.

“Sei que sem trabalho nada se consegue, é por isso que me empenho diariamente para alcançar os meus objetivos pessoais, académicos e desportivos. A minha dedicação permitiu-me ser duas vezes vice-campeã e faz-me acreditar na possibilidade de poder representar Portugal nos jogos paraolímpicos”, frisa.

Para alcançar os seus objetivos, a Rita pretende angariar apoio financeiro para a prática de Paradressage, bem como para conseguir aos Jogos Paralímpicos em 2020. “Sei que a participação nos Jogos Paralímpicos depende da minha classificação em campeonatos mundiais e/ou no europeu”, diz.

Tendo em conta os custos com o cavalo, os treinos, as inscrições anuais obrigatórias no clube e na Federação Equestre Portuguesa, as competições nacionais (inscrição, boxes, alojamento e transporte de cavalos) e as competições internacionais (transporte de cavalos, alojamento, viagem, inscrição e boxes), a Rita estima que irá precisar de um investimento na ordem dos 14 mil euros.

Até conseguir angariar apoio e patrocínio para ir ao Jogos Paralímpicos, a Rita vai continuar a lutar e a acreditar nos seus sonhos.

Resumo:
Atleta: Rita Lagartinho
Área:  Desporto Equestre
Necessidade: Apoios/Patrocínio para ir aos Jogos Paralímpicos 2020
Contacto: ritalagartinho@gmail.com

Comentários