A conclusão é de um estudo feito pelo Barómetro de IoT da Vodafone, que revelou um crescimento abrupto, deste tipo de projetos, no último ano.

O quinto estudo feito pela Vodafone no âmbito da IoT, intitulado “Barómetro Internet of Things”, que analisa a opinião das empresas sobre o grau de investimento e de inovação da Internet das Coisas, revelou um grande crescimento, a nível mundial, desta realidade tecnológica.

Esta nova esfera tecnológica está em franca expansão em todos os setores. Um exemplo disso são as duas multinacionais japonesas que se juntaram para aumentar o aproveitamento dos campos de cultivo de tomate em Portugal, aumentando a sustentabilidade e eficiência do negócio.

Uma das principais conclusões divulgadas pelo barómetro é o facto de o número de empresas com mais de 50 mil dispositivos de IoT conectados terem duplicado no último ano. A grande dinamização deste sector vem da necessidade que as empresas têm de criar novos serviços, de transformarem os seus negócios e de diversificarem as fontes de receita.

O maior conhecimento sobre a empresa, a redução de custos e a melhoria da produtividade dos trabalhadores, são apenas alguns dos benefícios – relatados pelas empresas – associados à utilização de IoT.

Para 53% das empresas da região da Ásia-Pacífico, o maior benefício desta tecnologia passa por um aumento da competitividade. Neste campo, as empresas europeias e do continente americano revelaram percentagens menores, com 33% e 35%, respetivamente.

A digitalização de negócios tradicionais não é possível sem a componente IoT. Esta ideia é passada por 66% das empresas inquiridas. Por consequência, 84% da amostra do barómetro afirmou ter aumentado a utilização de soluções da Internet of Things no último ano.

Segundo Erik Brenneis, diretor IoT da Vodafone, “durante os cinco anos deste relatório o número de empresas que adotaram o IoT duplicou e os projetos evoluíram de pequenos projetos-piloto para implementações globais, com dezenas de milhares de dispositivos conectados. O IoT está cá para ficar e o futuro advinha-se incrível, já que 79% dos utilizadores afirmam que a Internet das Coisas terá um enorme impacto na economia, nos próximos cinco anos. Acredito que agora podemos dizer que o IoT amadureceu e está a afirmar-se em todas as indústrias e geografias”.

Para as empresas, o grande entrave à implementação de soluções da Internet das Coisas ainda é a segurança. Para combater este problema, as organizações estão a adotar mais medidas para contornar os obstáculos de segurança, que passam por aumentar o grau de formação dos colaboradores, trabalhar com prestadores de serviços especializados e contratar especialistas na área. Apesar disto, nas empresas com 10 mil ou mais dispositivos conectados, apenas 7% referem a segurança como sendo a sua maior preocupação.

Em Portugal existem várias empresas dedicadas a esta esfera. Se tem interesse nestas matérias e pensa criar um negócio deste género, conheça 5 plataformas para construir uma app de Internet of Things.

Comentários