Decorrem até 18 de janeiro as candidaturas ao programa transfronteiriço CT-BIO que pretende apoiar as PME da área da biotecnologia do Norte de Portugal e da Galiza.

Promotora do CT-BIO, o Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), que está sediado em Braga, tem a decorrer até 18 de janeiro as candidaturas a este programa transfronteiriço que pretende apoiar as pequenas e médias empresas da área da biotecnologia do Norte de Portugal e da Galiza.

“No total, o projeto tem um orçamento de 1,8 milhões de euros para ajudar a criar um cluster biotecnológico no Norte de Portugal e na Galiza”, enfatiza o INL, em comunicado.

“Trata-se de um programa ambicioso, com ações focadas na melhoria da competitividade das empresas do sector da biotecnologia e que assenta em quatro grandes eixos: competitividade e modernização; acesso aos mercados externos; aceleração do talento e acesso a fontes de financiamento”, explica Ana Vila, responsável do INL pelo projeto CT-BIO.

Sobretudo dirigido às PMEs, este programa vai permitir às empresas selecionadas  beneficiarem dos diversos apoios previstos no programa e que incluem, entre outros, a participação num programa de aceleração, o acesso a “coaching” na área da biotecnologia, o apoio no acesso a financiamento (nomeadamente, através da realização de reuniões com potenciais investidores) e a programas de incubação relevantes nos dois lados da fronteira.

Além do INL, o CT-BIO conta com cinco outros parceiros: a Universidade do Minho, a Associação Portuguesa de BioIndústrias, o Cluster Tecnológico Empresarial de las Ciencias de la Vida (BIOGA), o Consórcio da Zona Franca de Vigo e a Universidade de Santiago de Compostela.

Comentários