A incubadora situada em Angra do Heroísmo, na Ilha Terceira, já conta com três dezenas de projetos incubados em apenas seis meses de existência.

Meio ano depois da entrada em funcionamento da primeira incubadora açoriana, a Startup Angra entra agora na fase de formalização dos regulamentos e dos contratos com os projetos incubados.

Em esclarecimentos à agência Lusa, Guido Teles, vereador da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, explicou que “com a aprovação do regulamento da incubadora e com a sua publicação agora, o que nós pretendemos no fundo é fazer um ponto de situação do que foi desenvolvido até agora e formalizar as regras de funcionamento e as regras de acesso, bem como os preços praticados, que serão aprovados em reunião de câmara”.

Apesar do projeto ter passado a ter espaço físico em julho do ano passado, só esta semana foi publicado em Jornal Oficial o regulamento da incubadora. As cerca de três dezenas de empresas que fazem parte do projeto açoriano vão, segundo Fábio André Mestre Santos, diretor executivo da Startup Angra, assinar os contratos com a Startup Angra, entre os dias 15 e 18 de janeiro.

No que diz respeito aos preços praticados pela incubadora, o vereador da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo garantiu à Lusa que os valores vão ficar “um pouco abaixo daquilo que é praticado em grande parte das incubadoras no país”.

Caso haja uma procura pela incubação física superior às expetativas, Guido Teles garante que não é uma preocupação para a incubadora, visto que a finalização da construção do parque de ciência e tecnologia do concelho está prevista para o primeiro trimestre de 2018. As duas infraestruturas vão ter ligação e, numa fase inicial, alguns dos projetos que estão atualmente sediados na incubadora vão ser relocalizados para o novo edifício.

Sobre a importância deste tipo de iniciativas, o vereador referiu à Lusa “que qualquer concelho neste momento necessita deste tipo de facilitadores para o arranque dos negócios. O que se verifica em vários países  – e Portugal é um dos principais exemplos disso – é que as incubadoras e as “start ups” são cada vez mais relevantes no que diz respeito ao peso do crescimento económico que tem existido”.

A edição de outubro da “Start-up do mês” do Link to Leaders contou com a participação da Startup Angra. Leia o artigo sobre o projeto açoriano As Nossas Quintas.

Comentários