Por definição, a cultura empresarial diz respeito às características únicas de cada empresa. O estilo de chefia, os valores, os procedimentos e a interação dos recursos humanos são apenas alguns exemplos da identidade organizacional por excelência.

Embora pareça simples, a criação e manutenção da personalidade de uma instituição é um processo complexo e ambíguo, que exige coerência e partilha desde uma fase inicial.

Qual a importância da cultura empresarial para os nossos negócios?

Uma boa identidade organizacional transforma o ambiente das nossas empresas, gerando melhores resultados, equipas motivadas e ideias inovadoras. A melhor maneira de se instituir uma identidade com sucesso é a partilha constante com colaboradores e membros do staff. A missão e valores da empresa têm que estar bem definidos desde a sua génese e os procedimentos têm de ser comunicados e discutidos abertamente. Não faz sentido falar de uma cultura empresarial, se a mesma não for praticada e partilhada por todos. Reuniões de equipa são essenciais, bem como brainstorming, sessões de motivação, coaching e definição de objetivos comuns.

Um caso extremo da importância desta cultura são os negócios em modelo de franchising. Por definição, uma unidade franchisada não é mais do que um negócio que utiliza materiais ou serviços standard e que paga royalties ou direitos sobre essa mesma utilização. Obviamente que um franchising tem tanto ou mais sucesso quanto melhor e mais clara for a sua identidade empresarial. É importante o atendimento ao cliente, os serviços e procedimentos serem replicados em todas as unidades da rede, de forma a garantir a consistência e coerência de oferta.

Se pensarmos bem, as grandes empresas têm culturas organizacionais muito próprias. No Mac Donald’s todas as chefias e colaboradores consomem os produtos internamente, na Google existe um dress code casual e vários divertimentos para as equipas, na Apple todos os colaboradores recebem prémios de desempenho que são partilhados semanalmente, entre outros casos conhecidos de características que distinguem determinadas empresas.

Não existem certos nem errados no que toca à definição de uma cultura organizacional, existem boas práticas que se prendem com a comunicação, consistência, sistemas e partilha que nos podem ajudar a traçar o perfil das nossas empresas.

Comentários

Sobre o autor

Mariana Torres

Mariana Torres é national franchisor em Portugal da marca Helen Doron English, um método de ensino da língua inglesa que vai desde os bebés com três meses até aos jovens com 19 anos. Em 2012, abriu a sua primeira unidade como franchisada dos centros de ensino de inglês Helen Doron English, em Odivelas. Passado um ano, assumiu o master da marca em Portugal. É também vogal do Conselho de Administração... Ler Mais