A Ihcare desenvolveu um produto para centros hospitalares que reduz substancialmente a possibilidade de os doentes acamados virem a contrair uma infeção associada aos cuidados de saúde.

Entre 20 a 30 % das infeções associadas a cuidados de saúde podem ser prevenidas com programas de higiene e controlo rigorosos. Quem o diz é o Centro Europeu para a Prevenção e Controlo de Doenças.

Foi a pensar neste problema que a Innovation Hospital Care (Ihcare), uma start-up portuguesa da área da saúde que está à procura de investimento, desenvolveu o Showercare. Apresenta-se como uma solução inovadora e autosuficiente para a higienização na cama dos pacientes dependentes em grau elevado, com recurso a água quente corrente, permitindo que este usufrua de um banho com elevados padrões de conforto, dignidade e privacidade.

A Ihcare quer inovar numa área dentro dos hospitais que ainda apresenta soluções tradicionais, como por exemplo, fazer a higiene aos pacientes acamados com o recurso a bacias de inox com água quente e gazes.

Ihcare procura investimento para diminuir infeções hospitalares

O dispositivo criado pela Ihcare, o Showercare.

Como nasceu
Incubada no Instituto Pedro Nunes, a Ihcare nasceu depois da equipa fundadora constatar o problema da higienização deficitária a pessoas com elevado grau de dependência em contexto real.

Diana Pires, CEO do projeto, conta-nos que “não faz sentido estarmos em pleno século XXI e darmos banhos no leito com duas bacias de inox. Não só por este motivo, mas também pelo desafio de criar/concretizar uma solução com a qual os profissionais de saúde se identificassem. Este sim era é o principal problema, pois existem soluções no mercado dos medical device que dão uma resposta à problemática do banho, mas que os profissionais rejeitam”.

Os mercados onde esperam vir a atuar
A start-up acredita que pode estar presente em todos os mercados em que a solução seja aceite e faça sentido, mas os contactos já existentes indicam recetividade de países como a Alemanha, Estados Unidos, Finlândia, Brasil, Inglaterra e Noruega.

Dificuldades que o projeto está a encontrar
Neste momento, a maior dificuldade prende-se com o facto da start-up ter exacerbado os esforços na produção final do protótipo funcional, não tendo validado a solução em contexto real. Devido a este problema, “houve um pequeno bloqueio na progressão da empresa, uma vez que os investidores referem claramente a necessidade de verem a validação concretizada para investirem. Estamos neste preciso momento a agilizar esse processo, extremamente confiantes que vai ser um sucesso”, explica a CEO do projeto.

Próximos passos
Os objetivos da start-up passam agora por validar a solução nos próximos três meses, certificar o produto e a empresa, finalizar o Showercare para produção e entrar gradualmente no mercado.

Ihcare procura investimento para diminuir infeções hospitalares

 

Resumo:
Responsável:
Diana Pires, CEO.
Área: Saúde.
Produto: Solução para higienização de pacientes acamados.
Mercado: Ainda não entrou no mercado.
Necessidade: Investimento e parcerias.
Contactos: d.pires@ihcare.pt

Comentários