A pergunta foi o ponto de partida para a análise de Mood Rowghani, general partner da Kleiner Perkins e investidor de capital de risco, no segundo dia de conferências da Web Summit.

Ontem, no palco da Startup University, Mood Rowghani, um investidor de capital de risco que já investiu em empresas como a Uber, Indiegogo, Soundcloud, Slack, entre muitas outras, partilhou a sua visão sobre o ecossistema global das start-ups, identificando alguns dos problemas associados a este tipo de empresas.

O investidor de capital de risco, Mood Rowganhi (fonte: Kleiner Perkins Caufield & Byers).

A sessão começou com uma pergunta simples de Alex Konrad, o jornalista da Forbes que conduziu a conversa: “Haverá demasiado dinheiro no mercado [das start-ups]?” A resposta para muitos empreendedores que assistiam à sessão seria, muito provavelmente, “não”. Mas a resposta de Mood Rowghani foi “sim”, acrescentando que há problemas associado ao esbanjamento de dinheiro, o que não é necessariamente algo positivo. Para explicar este ponto de vista, o investidor explicou que quando há muito dinheiro no mercado cria-se uma espécie de poluição no ecossistema das start-ups que, inevitavelmente, resulta na falta de investimento em projetos que realmente importam e que não se conseguem lançar no mercado porque, entretanto, já há alguém no mesmo espaço com mais dinheiro e que não dá margem de manobra aos novos projetos

O tema recorrente da conversa entre Mood Rowghani e o jornalista da Forbes foi a “meca da inovação”, também conhecida como Silicon Valley. Para desacreditar a ideia de que esta zona da Califórnia vai continuar a ser o maior hub de start-ups do mundo, Mood explicou que, no futuro, não vai haver nenhuma cidade dominante no mundo das start-ups. “Silicon Valley serviu de exemplo, mas a tendência é para haver uma descentralização dos ecossistemas”, referiu.

Ainda sobre este tema, e principalmente sobre a visibilidade que as start-ups deste ecossistema têm, Rowghani explicou que não é necessariamente preciso fazer parte de um grande ecossistema para se ter visibilidade junto dos investidores. Se o produto ou serviço for bom e já tiver sido provado no mercado, o mais provável é alguém investir nele assim que tomar conhecimento da sua existência. “Preste atenção aos seus clientes e o dinheiro vai eventualmente encontrá-lo”, acrescentou o investidor.

 

Comentários