Saiba onde conseguir recursos para expandir a sua empresa caso opere no mercado brasileiro e no setor da construção civil.

No mundo das start-ups, é frequente os empreendedores terem uma ótima ideia, mas terem falta de apoio e investimento para transformá-la num negócio e expandir a sua operação.

Um dos mercados em que mais apostam as start-ups brasileiras é o da construção civil. Se opera neste setor, conheça os fundos e aceleradoras que podem transformar o seu projeto num grande sucesso, segundo o site Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

Fundos de investimento:

Construtech Ventures
Sediado em Florianópolis (SC), este fundo de investimentos centra-se no conceito de venture builder, em que se procura um empreendedor para trabalhar na resolução de um problema.

Kick Ventures
Em outubro de 2017, o fundo de venture builder capital  anunciou montantes de 20 milhões de reais (4,5 milhões de euros) para investimento em start-ups da área.

Andrade Gutierrez
Anunciou em janeiro um programa de aceleração focado em projetos para a indústria de engenharia e construção. O Vetor AG selecionará até oito start-ups para um programa de cinco meses.

Alphaville Urbanismo
O Alpha Inova é o programa de inovação da construtora, criado em 2017. É direcionado para start-ups que já tenham um MVP. O objetivo é encontrar fornecedores de serviços para a própria empresa.

Tecnisa
A construtora organiza, desde 2011, um programa chamado Fast Dating, em que a start-up, ou quem está a desenvolver uma solução, tem dez minutos para realizar um pitch. Até outubro de 2017, foram realizados 77 encontros, com 574 empresas e registados 43 negócios fechados.

Aceleradoras:

Embora não tenham programas exclusivos para o mercado, estas aceleradoras têm um histórico de investimento em construtechs: ACE, Darwin Starter e SPIN.

ACE

Os empreendedores Pedro Waengertner e Mike Ajnsztajn fundaram, em 2012, a Aceleratech para aportar investimento, conhecimento e networking a start-ups e impactar a economia brasileira. Em 2016 a Aceleratech tornou-se ACE, com a abertura de novas sedes em Curitiba, Goiânia e Rio de Janeiro.

Atualmente, a ACE conta com unidades de negócio: ACE Startups, para investimento e aceleração em start-ups (três vezes Melhor Aceleradora da América Latina, com 180 start-ups aceleradas e nove exits); e ACE Cortex, para promover a inovação em corporações, e com parceiros como BASF, BTG Pactual, Gol, e outras grandes empresas.

Darwin STarter

A Darwin STarter reúne uma rede de empreendedores, mentores e corporações focada em ajudar start-ups a crescerem de forma acelerada. Investem 170 mil reais (38 mil cerca de mil euros) em troca de 12% da start-up, podendo reduzir até 5%, se empresa não necessitar de dinheiro ou tiver investimento prévio qualificado com avaliação superior. Esta aceleradora procura projetos nas seguintes áreas: Big Data; Fintech; Insurance e TI e Telecom.

SPIN

O #SpinCorp é um programa estratégico desta aceleradora que oferece aos parceiros corporativos uma estrutura jovem e descontraída, com condições ideais para ajudar os projetos de inovação a crescerem exponencialmente no menor tempo possível. Através da #SpinCapital, a rede de investidores da SPIN, os interessados podem ter acesso a oportunidades de investimentos para que possam escalar o seu negócio rapidamente e de forma sustentada.

Comentários