A Generation Investment Management, firma cofundada por Al Gore, investiu num projeto que desenvolve software para o mercado financeiro por quase dois mil milhões de euros – um dos maiores negócios da última década nesta área.

A Generation Investment Management, cofundada em 2004 por Al Gore, já investiu centenas de milhões de euros em empresas focadas nos negócios online. O último negócio concluído segue essa mesma tendência e serve de exemplo para o crescente interesse de firmas de capital privado no mundo fintech [tecnologia aplicada à área das finanças].

A visada foi a FNZ, um projeto britânico que dá acesso a serviços de software focados na indústria da gestão de ativos. Levado a cabo em conjunto com a Caisse de Depot et Placement du Quebec, uma gigante canadiana gestora de fundos de pensões com mais de 260 mil milhões de euros de ativos sob gestão, o negócio contou com um investimento próximo de 1.9 mil milhões de euros (1.65 mil milhões de libras). Segundo informação disponibilizada pelo Pitchbook, este é um dos maiores negócios na área de software financeiro da última década – tanto na Europa, como nos Estados Unidos.

Os dados da plataforma mostram ainda que os negócios desta área feitos em 2018 já ultrapassaram, no seu conjunto, os últimos três anos. Desde o início do ano – até dia nove de outubro – foram investidos mais de 24.2 mil milhões de euros em projetos de software financeiro.

Focada na sustentabilidade, a firma de Al Gore faz investimentos tanto em empresas que sejam sustentáveis ao nível das receitas, como amigas do ambiente, mantendo-se, assim, em linha com a sua agenda de ativista. Desde 2010 que a Generation Investment Management tem fechado entre dois a seis negócios todos os anos.

No caso dos projetos com uma abordagem de sustentabilidade ambiental, podemos encontrar nomes como a Proterra, uma construtora de autocarros elétricos, e a Harvest Power, gestora de resíduos. Sem esta faceta, mas com alguma notoriedade, encontram-se também negócios como a developer da plataforma de gestão de restaurantes Toast e a DocuSign, uma especialista em assinaturas eletrónicas.

Comentários

Sobre o autor