Quase metade das pessoas inquiridas num estudo da IKEA afirma que procura o carro para ter alguma privacidade.

A IKEA lança anualmente um estudo sobre a maneira como as pessoas se relacionam com o espaço onde habitam e com as diferentes componentes que criam o que convencionamos de lar. Desde 2014 que a abordagem desta pesquisa passa pelas rotinas matinais, pela cozinha e comida e pelos desacordos que ocorrem nos lares.

No entanto, este ano, a empresa sueca decidiu abordar os aspetos mais existenciais que criam o que chamamos de “lar”. A solidão, o sentimento de pertença e os efeitos de viver nas cidades estiveram no centro do estudo. Há dois anos, quando a IKEA perguntou a milhares de pessoas onde é que se sentiam em casa, 20% dos inquiridos afirmou que não era no espaço onde viviam.

Este ano, os investigadores fizeram a mesma questão a 22 mil pessoas, de 22 países. Surpreendentemente, este número aumentou 15%, o que significa que 35% das pessoas que vivem em cidades não se sente em casa no local onde habita. Perto de um quarto das pessoas que partilha casa com outros sente-se mais confortável fora de casa.

Um dos testemunhos do estudo relata que “onde me sinto mais em casa é onde a minha mulher e o meu filho estão. Acho que independentemente de ser numa vivenda ou num apartamento, se é um sítio que comprei ou arrendei, desde que a pessoa que amo esteja lá, essa é a minha casa”.

Contrariamente ao autor desta citação, 53% das famílias recém-formadas não têm um sentimento de pertença ao local onde reside. O número piora para pessoas que vivem com amigos ou estranhos. Neste último grupo, apenas 34% se sentem em casa. Em oposição, 57% das pessoas que vivem com a família ou sozinhas sentem que pertencem ao local ao habitam.

Outro dado relevante é o facto de o estudo apontar para que 25% das pessoas inquiridas trabalhem a partir de casa. O mesmo número de pessoas afirma arrendar os espaços livres de sua casa em plataformas como o Airbnb, como forma a gerar mais receitas.

A privacidade é outro ponto abordado nesta investigação da IKEA. Neste contexto, 45% dos norte-americanos afirmou recorrer ao carro, estacionado fora de casa, quando precisavam de um momento privado. Este número só é ultrapassado pela casa de banho (55%) e pelo quarto (72%).

Comentários

Sobre o autor