Assumo, em nome do GRACE e enquanto Presidente da Direção desta Associação para o triénio 2018-2020, a colaboração com a Link to Leaders onde a Paula Guimarães a deixou.

Num artigo notável denominado “Sair”, a Paula, que terminou no final do ano passado o seu mandato de Presidente do GRACE, por iniciativa própria e depois de sete anos nos Órgãos Sociais, escolheu como tema daquela sua última colaboração a sua própria saída do GRACE.

Em jeito de continuidade, optei por dedicar esta minha primeira colaboração com a Link to Leaders à minha entrada na liderança do GRACE e ao que ela implica em termos de sucessão na liderança de uma organização que tem um papel muito significativo em Portugal em matéria de Responsabilidade Social Corporativa.26

Aquele último artigo da Paula Guimarães é, em si mesmo, uma lição de liderança. Pelo que ensina sobre a importância de saber sair e de definir e implementar uma estratégia de saída. Pelo que transmite sobre a relevância de preparar a sucessão, evitando ruturas ou descontinuidades mas garantindo renovação. Pela coragem que mostra em não temer ficar a olhar para trás. Pelo despreendimento que evidencia ao escolher sair quando todos lhe pediram para ficar. Pela generosidade de genuinamente acreditar que, apesar de ter tido uma liderança marcante e carismática e de ter feito um trabalho extraordinário sempre com excelentes resultados, haverá quem possa fazer tão bem ou melhor.

Quem conheceu o trabalho da Paula Guimarães no GRACE sabe que que ele foi um exemplo de liderança servidora. Serviu o GRACE sem nunca se servir do GRACE. Liderou ensinando a liderar. Entregou-se à missão de levar o GRACE todos os dias mais longe de uma forma que levou todos a segui-la sem nunca se fazer seguir. Fez-se ouvir ouvindo os outros. Saiu da liderança do GRACE com o mesmo despreendimento e espírito de missão com que entrou.

Recaiu nos meus ombros a difícil tarefa de suceder à Paula Guimarães.

Imagino que eu sinta algo próximo do que ela sentiu quando sucedeu à Conceição Zagalo, outra líder natural e carismática que deixou uma marca indelével e permanente no GRACE, depois de ter conduzido os destinos desta relevante organização durante quatro anos.

Há pessoas que parecem “insucedíveis”. A maior lição de liderança que podem dar é mostrar que não são. Foi isso que a Paula quis mostrar ao sair e cabe-me agora a mim demonstrar que ela tinha razão. O papel do GRACE na sociedade portuguesa é demasiado importante para que me possa dar ao luxo de falhar.

Espero pois, tal como ela, nunca me esquecer que ser líder começa por não perder de vista o caráter transitório do mandato que nos foi confiado e trabalhar desde o primeiro dia para garantir que a organização que lideramos melhore tanto hoje com a nossa entrada quanto amanhã com a nossa saída.

Disse a Paula Guimarães no seu último artigo de colaboração com a Link to Leaders, que sair é fechar uma porta para podermos abrir outra. Entrar na liderança do GRACE é abrir uma porta para que muitas portas estejam abertas para os outros no dia da nossa saída.

*Em representação da Vieira de Almeida & Associados – Sociedade de Advogados

Comentários

Sobre o autor

Margarida Couto

Margarida Couto é licenciada em Direito e pós-graduada em Estudos Europeus, pela Faculdade de Direito da Universidade Católica de Lisboa. Integra a Sociedade de Advogados Vieira de Almeida & Associados (VdA) desde 1988, sendo a sócia que lidera a área de prática de Telecomunicações, Media e Tecnologias da Informação e a área de prática do Terceiro Sector e Economia Social. É a sócia responsável pelo Programa de Pro Bono e... Ler Mais