Há uma verdade que está a ganhar força internacional na gestão e na forma como criamos empresas e inovamos processos: se nunca falhaste – ou se não o consegues admitir ou encarar – é porque nunca tentaste! Ponto!

Não há volta a dar aqui… não há nada de romântico ou de elegante ou bonito no erro e no falhanço mas é um facto que ele faz parte da pessoa que és hoje e da empresa, ou do projeto, onde participas e crias valor.

Numa altura em que a transparência de relações e a abertura digital, em todas as plataformas, mostra todas as facetas da nossa vida pessoal e profissional (gostes ou não que isso esteja a acontecer…) falhar ou não acertar logo é mesmo parte da condição de ser humano e de empreendedor, em todas as fases da nossa vida. E não saber mostrar a nossa força de vontade e a nossa fragilidade – que se transforma na nossa maior força… –  quando o erro acontece é não perceber que a Marca Pessoal que somos se faz de todos os erros e falhanços acumulados.

Pode não ser elegante e natural mas há algo de nobre em admitir honesta e profundamente que erramos. É com o erro que vem a maturidade, a experiência e a competência para fazer melhor. Saber errar e saber falhar bem é mesmo algo precioso que os melhores líderes e os melhores atletas e empresários sabem… mas não há nenhuma escola oficial para aprenderes a falhar…até agora!

É neste contexto que o Failbig Summit Worldwide, com as suas iniciativas Failbig Summit, tem algo especial a desenvolver em cada empresário, em cada comercial, em cada gestor, em cada executivo, em cada presidente de Conselho de Administração e em cada empreendedor consciente de si mesmo. Saber falhar melhor – já que temos mesmo que falhar ao longo da vida é bom que o possamos aprender – e falhar em grande é um talento muito importante que tens que saber desenvolver.

Os melhores do mundo em todas as áreas sabem os três princípios essenciais no fracasso:

  1. Há que Falhar Rápido

Já que vais falhar não te demores no falhanço e no fracasso… usa-o como combustível para entenderes como podes passar à próxima fase. Os melhores do mundo são feitos de muitos falhanços mas nunca entregam demasiado tempo e energia ao que correu mal. Ponderam, analisam, tiram conclusões mas não ficam parados no erro… há que seguir rapidamente em frente.

  1. É preciso falhar muitas vezes

O processo de fracassar é apenas uma estratégia de ajustamento à realidade enquanto fazemos e aprendemos. Falhar muitas vezes – com os nossos valores e ambições fundamentais sempre no centro da decisão… –significa que tens energia e capacidade para tentares mais do que os outros. É por isso que provavelmente também vais ser mais e ter mais do que a maioria. Se estás a falhar no sentido certo acho que a vida até pode estar a correr muito bem…

  1. É fundamental falhar a olhar para a frente

O processo emocional do erro e do fracasso é uma provação para todos. Mesmo para os melhores… há um preço emocional a pagar pelo fracasso. Mas se aprenderes a falhar bem vais perceber que só se justifica a beleza de falhar – sim, até pode ser belo falhar – se estiveres já a ver o futuro e não ficares a olhar para trás a pensar no que foi ou no que poderia ter sido.

Pergunta a quem admiras ou a quem é bem-sucedido quantas vezes já falhou!

Se receberes uma resposta honesta e sincera vais ver que foram toneladas de erros e fracassos que pavimentaram a estrada daquele sucesso pessoal ou profissional. E isso está certo…!
Encaixa bem os ensinamentos e regista cada boa história de fracasso. Absorve bem a conversa, pode ser que aprendas mais com os falhanços e com os fracassos do que com as vitórias desse empreendedor!!

Aprende com os erros. Prometo que vais aprender muito mais do que estavas à espera…

 

Comentários