Uma campanha do Kickstarter que começou com o objetivo de recolher 10 mil euros e que terminou com mais de 200 mil angariados. Conheça a história da Nordgreen, uma start-up com ADN português.

Diretamente da Dinamarca chega-nos a história da Nordgreen, uma start-up que, apesar de estar sediada no frio do norte da Europa, tem o calor português representado na liderança da equipa.

De Portugal à Dinamarca
O ADN luso é trazido por Daniel Rocha, o growth hacker da start-up de Copenhaga. Questionado sobre a razão que o levou a emigrar para o norte da Europa, Daniel conta-nos que tinha o objetivo de ser independente e criar o seu próprio caminho. “Portugal não é o mundo, há tanto para aprender e conhecer. Outra das razões foi também porque sempre tive o sonho de criar e fazer crescer uma empresa. Queria ter sucesso no mundo dos negócios, e nada melhor do que expandir os meus horizontes e ver o mundo de diferentes perspetivas. Estava na altura de arriscar e aventurar-me, por isso, mudei-me sozinho para a Dinamarca para tirar um curso de Gestão e Finanças. Três anos depois, com muitos altos e baixos, estou a liderar uma start-up”, explica-nos o empreendedor via e-mail.

Crowdfunding do mês: Nordgreen Daniel Rocha

Daniel Rocha é o growth hacker na Nordgreen. “O meu papel na empresa é criar ‘brand awareness’ para o público em todo o mundo. Por todos os canais possíveis”.

Kickstarter: objetivo cumprido ao final de duas horas
A campanha levada a cabo pela Nordgreen no Kickstarter foi um sucesso. O objetivo inicial era apenas de 10 mil euros, mas o êxito da marca fez com que a campanha fechasse com mais de 200 mil euros angariados.

A finalidade não era apenas recolher dinheiro. “Para além de angariarmos capital, queríamos também uma prova do conceito e do design dos nossos relógios, isto é, queríamos saber se tínhamos um bom produto ou não, tendo imediatamente feedback dos nossos clientes através de pré-vendas.”

Para o growth hacker da start-up, as componentes que ditaram o sucesso da campanha “foram o conhecimento, preparação – muita preparação – e execução”. Para além disto, a equipa contou com o apoio dos profissionais de vídeo da Red Bull.

Questionado sobre o segredo para uma campanha de crowdfunding de sucesso, Daniel refere que prende-se com “um bom produto, uma boa apresentação e o resto é marketing, marketing, marketing”.

O produto
Numa altura em que há cada vez mais interesse em smartwatches, a Nordgreen optou por seguir a direção oposta, onde é dado mais valor aos designs minimalistas. A razão para tal é “a herança que Copenhaga e a Dinamarca trazem. Aqui há muito foco em simplicidade e funcionalidade. Quanto mais complexidade tiver um produto mais rapidamente passa de moda, o nosso design minimalista assegura que os nossos relógios sejam sempre clássicos e intemporais”.

A estética por trás dos produtos da Nordgreen foi concebida pelo designer dos headphones da Bang & Olufsen, Jakob Wagner.

Os países mais interessados nos relógios da Nordgreen durante a campanha do Kickstarter foram os Estados Unidos, Dinamarca, Reino Unido e Portugal. Depois de todo o sucesso, a marca conta agora também com um grande volume de clientes oriundos da China e do Japão.

Conselhos para start-ups que queiram criar uma campanha no Kickstarter
A nosso pedido, o growth hacker da start-up de Copenhaga deixou alguns conselhos para os nossos leitores que queiram levar a cabo uma campanha de crowdfunding.

“Devem arriscar. No entanto, devem estar preparados e com o ‘trabalho de casa’ feito porque uma campanha de sucesso da Kickstarter não é magia – como algumas pessoas pensam – e tem bastante trabalho envolvido. Tem de ser um esforço contínuo, durante os meses anteriores, como no mês inteiro de campanha, especialmente durante esse mês. Perguntem a vocês mesmos, porque é que as pessoas deviam encontrar a vossa campanha, como irão encontrar a vossa campanha. Essas são as respostas chave.”

Comentários