Qual o papel do CFO? Que aspetos deve ter em conta para gerir o crescimento da sua empresa? A Sage analisou a função do Chief Financial Officer (diretor financeiro) no setor da indústria, numa altura em que a economia é cada vez mais global e competitiva.

Neste cenário, a empresa especializada em soluções de gestão empresarial na cloud, considera que os CFO devem ter uma visão mais ampla da empresa, dirigindo o negócio não apenas a pensar nos próprios benefícios económicos, mas também na eficiência e no futuro. Mais: a Sage identificou cincos aspetos fundamentais que devem caraterizar o comportamento de um CFO de forma a que o seu trabalho seja bem-sucedido. Ei-los:

1. O impacto da globalização
A globalização trouxe vantagens, mas também alguns desafios relativamente a normas de informação financeira, com as Normas Internacionais de Informação Financeira e as Normas Internacionais de Auditoria.  Reconhecidos internacionalmente, não são obrigatórios em todos os países, logo o CFO, e respetivas equipas, enfrentam o desafio de compreender não só as regulações dos seus países, como também de todos aqueles com que têm negócios. Trabalhar com associados nos diferentes mercados, que conheçam bem a regulação local, pode ajudar a reduzir riscos.

2. Recondução dos investimentos
“Distrair-se” com projetos que agreguem pouco valor ao processo de fabrico e ao resultado final pode ser uma realidade, mas os conhecimentos e o pragmatismo do CFO podem contornar essa situação. Os diretores financeiros devem utilizar o conhecimento das despesas operacionais para guiar os investimentos de forma favorável à empresa e, simultaneamente, assegurar também que os fabricantes priorizem as oportunidades que oferecem benefícios a curto e a longo prazo.

3. Integração de processos de melhoria
Também têm de contribuir para a melhoria dos processos da indústria, já que podem ajudar a eliminar intermediários, bem como reduzir custos e melhorar o retorno de investimento.  

4. O verdadeiro valor da mudança digital
A digitalização permite aos CFO estabelecerem melhor as suas prioridades de trabalho. Além disso, os departamentos podem partilhar a informação, de forma direta e sem intermediários. Este processo permitirá aos CFO garantir que qualquer sistema de aquisições seja o mais adequado para a empresa, tanto a curto como a longo prazo.

5. Automatizar ou não automatizar
Embora a ideia das fábricas autónomas possa ser atrativa para os diretores executivos, os sistemas de inteligência artificial e os robôs ainda necessitam de muita supervisão e de manutenção humana. Equilibrar a poupança de custos e os aumentos de produtividade implica um desafio ético e encontrar o equilíbrio entre ambos será a tarefa do CFO e do departamento financeiro. Deve identificar prioridades e ser um agente de mudança, orientando o negócio para a rentabilidade e eficiência.

O papel do CFO na empresa parece estar na ordem do dia. Recorde-se que, ainda recentemente, a Michael Page revelou as caraterísticas do Chief Financial Officer moderno no estudo “Perspetivas do CFO & Liderança Financeira”.

Comentários