Aumentar o prazer de beber chá, promover a segurança rodoviária e combater a poluição foram algumas das propostas das start-ups francesas em Las Vegas.

 A Consumer Electronics Show (CES) de Las Vegas terminou no passado dia 8 de janeiro, com a promessa de manter de baixo de olho muitas inovações apresentadas. Entre as 200 empresas selecionadas pela CES para serem pré-apresentadas à imprensa, destacaram-se 15 com a bandeira francesa. Conheça as start-ups francesas que foram consideradas as mais inovadoras da CES e que baseiam a sua atuação na Internet of Things (IoT).

42 Tea

A start-up francesa pretende ajudar os amantes de chá a retirar o maior prazer possível com recurso a um dispositivo inteligente. Colocada sobre a saqueta de chá, esta box reconhece as suas caraterísticas, graças a uma base de dados com mais de 30.000 referências e fornece as indicações sobre a melhor forma de o preparar. Colocada no dispositivo de aquecimento, emite alertas, por exemplo, do momento em que a água está à temperatura ideal. 42 Tea vai iniciar a sua fase de comercialização na primavera e já fechou uma parceria com a Boulanger para ser apresentada ao círculo dos fabricantes de chá.

Cosmo Connected

Este é um objeto que poderemos ver brevemente nas estradas francesas e estrangeiras. Com as luzes de stop ligada a dois motores que se instalam na traseira de um capacete, o Cosmo Connected pretende salvar vidas e melhorar o comportamento dos condutores. Através do seu giroscópio, o Cosmo deteta as desacelerações, mas também as quedas.

Após algumas mensagens enviadas ao condutor, dispara uma chamada de emergência, enviando as coordenadas GPS. Graças a uma parceria com o Codes Rousseau, o objeto será distribuído nas escolas de condução francesas.

Joy

Com mais de um milhão de dólares reunidos através da Kickstarter e da Indiegogo, a jovem empresa francesa vai poder desenvolver o ecossistema referente ao seu relógio conectado para crianças pequenas. Este objeto permite criar rotinas para os mais pequenos e dar-lhes autonomia mais rapidamente. Sedeada em Annecy e San Francisco, a start-up acaba de concluir um levantamento de capital de 1,5 milhão de dólares junto de business angels, entre os quais Angélique Gérard, braço direito de Xavier Niel, e beneficia do apoio do fundo SOSV que lidera, nomeadamente, a aceleradora de hardware chinesa HAX.

Lovebox

Como manter contacto com as pessoas que amamos, mas que estão longe? É esta a pergunta à qual procurou responder a jovem start-up que fabrica uma box conectada em madeira com um ecrã que recebe mensagens através de uma aplicação. Em pré-venda até ao mês de junho, o objeto já foi apresentado nas Galerias Lafayette. O seu fundador espera vender 10.000 unidades para atingir o seu ponto de equilíbrio, antes de introduzir novas funcionalidades, como a transmissão de fotos e de vídeos.

Miliboo

O site de mobiliário e de objetos decorativos que festeja os seus 10 anos propõe um espelho conectado ao Android. Permite configurar as informações apresentadas no ecrã OLED em função dos diferentes perfis da família, seja de texto, vídeos ou música. Depois de ter aberto lojas físicas em Paris e em Lyon, a empresa aventura-se este ano em Nova Iorque.

PKvitality (PKparis)

A subsidiária da PKparis revoluciona o tracking dos marcadores fisiológicos como a Glicémia, que permite tirar sangue nem provocar dor. Os sensores “leem” a pele do utilizador e podem ser integrados em numerosos objetos, como relógios, pulseiras ou braceletes conectadas. Para atingir a fase de industrialização e efetuar os testes da FDA nos Estados Unidos, a start-up procura captar cerca de 5 milhões de euros.

Plume Labs

Antes de combater a poluição, é preciso conhecê-la. É a isso que se dedica a start-up que apresentou na CES a sua caixinha Flow. Um objeto que permite medir em tempo real os níveis de partículas finas de ozono, por exemplo, e passá-los para uma aplicação via bluetooth. Plume Labs já tinha anunciado que levantou 4 milhões de euros em novembro último e poderá satisfazer os seus primeiros clientes já esta primavera.

SevenHugs

O telecomando apresentado pela start-up, que reuniu 1,1 milhões de dólares de pré-encomendas da Kickstarter, vai comandar os objetos conectados da casa. Dotado de geolocalização, pode ser configurado para selecionar uma função de acordo com o sítio para onde se aponta. Pode, por exemplo, mostrar a meteorologia se o dirigirmos para a janela ou chamar um Uber quando chegamos à porta de entrada. Após ter levantado 13 milhões de euros no passado mês de junho, a jovem empresa quer passar à fase de industrialização.

UrbanHello

Já selecionada em 2016 pela CES, a start-up fez uma inflexão para se concentrar no seu novo produto, o Remi. Este objeto conectado é destinado a vigiar o sono dos bebés, através de sensores que medem a temperatura, o nível sonoro e os barulhos feitos pela criança durante a noite. Programável através de uma aplicação, faz também o papel de babyphone, de luz noturna, de MP3 player, alto-falante bluetooth.

Wistiki

A start-up, que incendiou a CES com o objeto para encontrar as suas chaves ou a sua carteira, apresenta uma nova referência na sua gama desenhada por Philippe Starck. Com Ahâ, a Wistiki dirige-se agora aos proprietários de animais de companhia.

Yumii

A start-up de Lille foi uma das atrações do primeiro dia dedicado à imprensa. Com o seu robot batizado Cutii, a Yumii apresenta um companheiro virtual para ajudar as pessoas idosas a permanecer autónomas durante o maior tempo possível, mas, sobretudo, criar todo um ecossistema de serviços que são feitos por terceiros, como sessões de relaxamento, por exemplo. A Yumii focalizou-se, neste ano, na ergonomia do seu produto e prepara um lançamento mundial para 2018.

 

 

 

 

 

 

 

Pode ver o vídeo aqui. 

Hap2U

Criada há exatamente um ano em Grenoble, depois de sete anos de pesquisas, a start-up propõe-se criar sensações em ecrãs de tablets e de smartphones. Embora o produto apresentado seja ainda volumoso, a equipa de 10 pessoas está a trabalhar para o integrar diretamente nos ecrãs táteis a um preço acessível. A sua tecnologia baseada num princípio mecânico distingue-se da sua concorrente americana Tanvas e pode funcionar em ambientes muito complexos. Depois de ter reunido 550.000 euros no ano passado, a Hap2U prepara um novo levantamento de capital para esta primavera.

In&Motion

O inventor do airbag para esquiadores está a desenvolver um novo produto destinado aos condutores de duas rodas. Financiada pelo programa investigação e desenvolvimento da União Europeia, a start-up procura 500 motards para testar a ergonomia do seu vestuário e armazenar os dados e melhorar os seus algoritmos de previsão de queda.

Klaxoon

Este start-up EdTech desenvolveu um novo objeto conectado que tem a forma de uma lupa, e que transforma qualquer superfície lisa num suporte de trabalho. Reenvia para a sessão Klaxoon partilhada pelos empregados da empresa que trabalham em conjunto num ou mais casos e faz o “transporte” do conjunto dos dados já trocados. Quase todas as empresas do Índice CAC40 já utilizam o serviço.

 

 

 

 

 

 

 

Wair

Com a sua máscara, a Wair destaca-se como uma das start-ups de ponta na luta contra a poluição. O seu filtro de camadas múltiplas, que se podem ser mudadas regularmente, permite a retenção de partículas, pólen e vários gazes. Num estado ainda de protótipo, este acessório de moda pode integrar também um mini-ventilador para trazer ar fresco a quem o utiliza.

 

 

 

Comentários