Esqueça as mesas de ping-pong, os baloiços ou as encomendas de sushi à sexta-feira. Conheça a característica mais importante para melhorar a produtividade dos trabalhadores de escritório.

Estarmos confortáveis no local de trabalho é fundamental. Afinal, acabamos por passar a maior parte do tempo útil do nosso dia sentados à secretária.

Nas últimas semanas temos abordado alguns estudos que mostram quais são os melhores tipos de escritórios (segundo dezenas de milhares de trabalhadores) e outros que refutam a ideia de que os espaços abertos são os melhores para fomentar a cooperação entre colegas de trabalho.

Um novo estudo da empresa de consultoria de recursos humanos Future Workplace introduz a característica mais importante para melhorar a experiência dos trabalhadores nos escritórios.

Esqueça as cafetarias, os ginásios incorporados no edifício ou até mesmo as creches. Segundo os 1614 trabalhadores entrevistados, que serviram de amostra para este estudo, a característica mais importante é a luz natural e a visibilidade para o exterior do edifício.

Os investigadores descobriram que a falta destes dois privilégios afeta a qualidade de vida dos trabalhadores. Um terço da amostra revelou que não recebe luz natural suficiente no seu local de trabalho. Destes, 47% admitiram que se sentiam cansados ou muito cansados devido à falta de luz natural ou de uma janela no escritório. Por outro lado, 43% afirmaram sentir-se “em baixo” ou tristes pelas mesmas razões.

Uma pesquisa que reforça a importância de os escritórios apresentarem estas características é a de Alan Hedge, professor da Cornell University. De acordo com os resultados apresentados, a melhoria da luz natural no espaço de trabalho reduziu em 63% a frequência de dores de cabeça dos trabalhadores, bem como a fadiga ocular, em 51%, e a sonolência, em 56%.

A crescente utilização dos telemóveis pode explicar esta necessidade de ter um escritório com luz natural e visão para o exterior. Uma investigação da eMarketer concluiu que os adultos norte-americanos passam, em média, cerca de quatro horas por dia ligados a estes aparelhos. No panorama nacional, um estudo da Mediapost revelou que os portugueses entre os 15 e os 44 anos passam cerca de 13 horas por dia online.

Estes dados são relevantes na medida em que o estudo da Future Workplace concluiu que 73% dos trabalhadores inquiridos revelaram que quanto mais tempo passavam online, maior era a necessidade de fazer uma pausa para olhar para os espaços exteriores ou fazer uma caminhada.

A qualidade do ar é outro aspeto importante a ter em consideração para melhorar a experiência dos trabalhadores num escritório. A teoria, apoiada por um estudo de Harvard, enuncia que esta característica aumenta a capacidade cognitiva.

Atualmente, os trabalhadores não procuram apenas salários mais altos. Para serem capazes de atrair e reter talento e aumentar a produtividade, os empregadores devem também ter em consideração a qualidade de vida que os seus colaboradores têm no local de trabalho.

Segundo refere a partner da Future Workplace, num artigo na Harvard Business Review, é importante que os CEOs e executivos de uma empresa:

Se coloquem na posição dos colaboradores e tentem ver o local de trabalho como eles;
Oiçam os empregados com o objetivo de perceber o que estes querem para o ambiente de trabalho;
– Considerem implementar melhorias no local de trabalho para todos os colaboradores.

Apesar das mesas de ping-pong, dos baloiços e das encomendas de sushi à sexta-feira tornarem um local de trabalho divertido e com espaço para momentos de lazer, não devem ser descurados os privilégios mais básicos que, segundo os estudos referidos, são também os mais significativos.

Comentários

Sobre o autor