Já estão em curso as candidaturas ao Fundo 200M. Os valores de investimento oscilam entre 500 mil e cinco milhões de euros.

O desafio está lançado: o programa Fundo 200M começou o processo de candidaturas online no seu site. Este fundo de coinvestimento assume-se como uma ferramenta inovadora que procura atrair investidores financeiros internacionais para investir em start-ups portuguesas, com coinvestidores privados nacionais ou internacionais.

A par deste, os objetivos do programa passam por atrair fundos qualificados e corporações para investir no mercado nacional; promover o investimento transfronteiriço entre investidores portugueses e internacionais; aumentar a atividade de Venture Capital em Portugal; e estimular a incorporação ou capitalização de empresas, especialmente nos estágios iniciais (semente, start-up, estágio posterior do empreendimento – séries A e B). Os setores preferenciais são os de ciências da vida, biotecnologia, digital e IT, turismo, engenharia e indústria 4.0.

O programa envolve um compromisso financeiro direto em start-ups com coinvestimento e partilha de riscos. O coinvestimento do Fundo 200M corresponde a 100% do compromisso dos investidores privados, com um mínimo de 500 mil euros e um máximo de 5 milhões de euros. Por outro lado, o Fundo 200M concede uma opção de compra para coinvestidores privados nacionais ou internacionais, para comprar ações do Fundo 200M a 4% de IRR nos primeiros dois anos e 6% de IRR depois disso e até o final do 4.º ano.

O Fundo de coinvestimento 200M é gerido pela PME Investimentos, “uma empresa pública regulada pelo Banco de Portugal e tem como missão desenvolver instrumentos de financiamento inovadores”. O seu conselho geral engloba nomes como Jaime Serrão Andrez, presidente, Nuno Arantes e Oliveira, presidente do Comité de Investimento, entre outros profissionais.

Comentários