A bia.pt é um marketplace que liga comerciantes nacionais, com stock em Portugal, com clientes no continente e nas ilhas. O negócio aspira solucionar dificuldades com entregas rápidas, oferecer melhor suporte e criar uma panóplia de serviços que aumente a competitividade no setor.

Andreia Ferreira explicou assim o âmbito de atuação da start-up que ajudou a criar em julho deste ano, no Fundão, e que está a dar os primeiros passos no sentido de melhorar as operações online no que se refere ao comércio eletrónico.

“Por existirem dificuldades nos pagamentos, envios e comunicação, o fundador David Ferreira decidiu trazer um conceito existente noutros países para Portugal. Tem outras empresas fora de Portugal mas decidiu investir no país para impulsionar o e-commerce”, explicou a cofundadora.

O comércio a retalho na web é o principal target do projeto. A bia.pt pretende alcançar clientes não só no território continental, como também nas ilhas. E embora para as ilhas seja difícil fazer entregas em menos de 48 horas, o fundador da empresa acredita que o simples facto de oferecer preços competitivos facilita o consumo em territórios mais desfavoráveis. Mas como gerir e fazer envios para as ilhas não é do interesse de todas as empresas, para contornar essa dificuldade a bia.pt oferece a solução chave na mão para qualquer comerciante parceiro em Portugal para que precisem apenas de se concentrar no que fazem melhor: obter bons preços com fornecedores e certificar-se que tem os stocks para despachar.

Ainda numa fase embrionária de comunicação, em que o boca-a-boca tem sido dominante, a bia.pt está a trabalhar com grupos no Facebook. A pensar na Black Friday de 24 de Novembro, está a desenvolver uma ação com a frase “Compra até às 19H, no dia a seguir em casa!”

Os desafios foram vários desde o início da empresa, a começar pela contratação dos melhores profissionais. Depois de ter uma equipa sólida, a dificuldade seguinte passou por conseguir transportadoras que pudessem recolher artigos até cerca das 20H e garantir as entregas no território continental no dia a seguir. O desafio atual consiste em encontrar comerciantes parceiros que estejam dispostos a vender os seus produtos na plataforma. “Como marketplace, temos o problema do ovo e da galinha: não temos comerciantes se não tivermos clientes, mas não teremos clientes sem ter produtos oferecidos pelos comerciantes”, exemplifica Andreia Ferreira que, assegura, estão a fazer o melhor para conquistar a confiança dos portugueses.

Mais parceiros e produtos
Aumentar a lista de clientes de comerciantes que fornecem os produtos à bia.pt, bem como ter fornecedores próprios que facilitem os envios e trabalhem com a start-up na inovação logística, são os próximos passos que empresa quer dar. “Em cinco anos, queremos ser a Amazon portuguesa. Se o cliente comprar o produto até às 23 horas, pode recebê-lo em casa no dia seguinte. Além disso queremos ser a plataforma número 1 de venda direta de produtos B2C”, explica Andreia Ferreira.

Neste momento, para pôr em marcha estes objetivos, a start-up precisa de parceiros na área logística e comerciantes nacionais, com bons níveis de stock nas mais diversas áreas, que estejam dispostos a colaborar com a bia.pt.

Resumo
Responsável: David Ferreira
Área: Portugal
Mercado: Comércio online
Necessidade: Ter comerciantes com stock em território nacional
Contacto:  david@bia.pt – 938359976

 

Comentários