Não consegue convencer investidores a apostarem no seu projeto? Conheça algumas das razões para que isso aconteça.

Já pesquisou, contactou e até já esteve em reuniões com potenciais investidores para o seu projeto, no entanto o investimento acabou sempre por nunca se concretizar.

A frustração de os investidores não verem valor no seu projeto pode levá-lo a acreditar que, na realidade, não há qualquer tipo de mais-valia no negócio que criou. Não se conforme com os “nãos” dos investidores e continue a tentar até encontrar alguém disposto a arriscar consigo.

A história do empreendedor e coach de CEOs Brett Fox é um bom exemplo disso. O antigo CEO da Touchstone Semiconductor, uma empresa de fabrico de componentes eletrónicos que foi adquirida pela Silicon Laboratories, em 2014, por pouco mais de 1,2 milhões de euros, só conseguiu financiamento para o seu projeto depois de 64 reuniões com investidores de capital de risco (VCs).

Questionado na sua página do Quora sobre a razão para os VCs/business angels não se interessarem por um negócio, o empreendedor enunciou algumas possibilidades:

A sua empresa não está num segmento que interesse ao investidor
Se os investidores não responderem a um convite para dar lhes a conhecer a sua start-up esta pode ser a razão. Nem todos os investidores estão interessados no mesmo segmento de mercado. A ideia é fazer uma pesquisa antes de começar a marcar reuniões. Perca algum tempo a pesquisar investidores que tenham arriscado com empresas do mesmo género da sua. Desta forma, não só aumenta a possibilidade de poder vir a conhecer um investidor e de lhe apresentar a sua ideia, como também diminui a frustração de não receber respostas de volta.

A sua empresa pode não estar numa fase atrativa para os investidores
Por norma, os investidores – de todos os géneros – só estão interessados em investir em start-ups de uma certa fase, visto ser esta a sua especialidade. Os business angels, por exemplo, são investidores que, em grande parte, só investem em negócios em fases embrionárias. Mais uma vez, faça uma pesquisa sobre as especialidades de cada fundo ou investidor.

A sua empresa não faz diferença no fundo da potencial entidade investidora
Neste ponto, Fox dá o seguinte exemplo: “Imagine que está a construir uma empresa que tem um potencial de crescimento que pode chegar aos 100 milhões de dólares”. Apesar de ser uma boa quantia, se se colocar na posição de um gestor de um fundo de capital de risco, os 100 milhões de dólares poderão não ter grande impacto num fundo que facilmente supera os mil milhões. O que Fox quer dizer com isto é que para pequenos negócios é preferível recorrer a fundos mais pequenos.

A sua empresa não está localizada no melhor sítio para o investidor
Segundo Fox, os investidores querem estar perto das empresas onde investem, especialmente se os negócios ainda estiverem em fases muito embrionárias. Dito isto, é importante escolher investidores que estejam perto da zona onde a sua empresa está alojada.

A sua empresa não está a crescer suficientemente rápido
É importante que as suas previsões de crescimento sejam suficientemente atrativas para os investidores. Se as suas receitas são de 500 mil euros por ano e a sua previsão para os próximos anos não for suficientemente atrativa para os investidores, dificilmente vai receber um investimento. Isto porque, por norma, os VCs procuram empresas de rápido crescimento onde consigam reaver o seu dinheiro o mais rapidamente possível.

A sua empresa precisa de demasiado dinheiro para atingir o equilíbrio económico
Se a sua empresa já tem receitas de 10, 20 ou 50 milhões de euros, mas precisar de atingir os 200 milhões para conseguir, finalmente, chegar ao ponto de equilíbrio económico, pode ser um problema para quem estiver interessado em investir. Isto porque não só vai precisar de muito dinheiro dos investidores, como também não existe a segurança de que o crescimento seja igual ao previsto. Mais: nesta situação, os investidores têm de ter garantias de que, eventualmente, apareçam outras entidades a colocar dinheiro no projeto, visto que a sua empresa dificilmente se vai manter a funcionar sem novas “injeções de capital”.

Comentários