Se, no passado, o mundo dos investimentos era apenas dominado por homens,  hoje a realidade é outra e muitas são as mulheres a darem cartas nesta área. Talvez seja altura de filmes como o The Wolf of Wall Street contarem com mais do que uma só corretora!

O mundo em que só os homens faziam negócios e operavam no mercado financeiro faz parte do passado. Embora ainda com uma expressão tímida, a verdade é que já existe hoje uma representação feminina no mundo do investimento que está a dar que falar.

A pensar nisso, o Wall Street Survivor reuniu aquelas que considera ser as 8 mulheres mais conhecidas no mundo dos investimentos. Do imobiliário à bolsa e ao capital de risco, começamos hoje a encontrar mulheres um pouco por todas as áreas do investimento.

Geraldine Weiss

Embora não esteja hoje no ativo, é incontornável falar do seu sucesso quando o tema são as mais conhecidas mulheres no mundo do investimento. Conhecida como a “grande dama dos lucros”, foi Geraldine Weiss quem colocou as mulheres no mapa da indústria financeira.

Rejeitada por um sem fim de empresas que desdenhavam da ideia de contratarem uma mulher para qualquer outro cargo que não o de secretária, Weiss criou o seu próprio caminho com a Investment Quality Trends, em 1966.

Para além de ter sido durante 37 anos a diretora editorial do Investment Quality Trends (IQT), foi a primeira mulher a possuir uma licenciatura em investimento, tendo as suas análises do mercado bolsista constado no The Wall Street Journal, Forbes, Fortune e The New York Times. É ainda autora de diversos livros. O seu sistema base de investimento de dividendos é ainda hoje conhecido e reconhecido no mundo financeiro.

Sallie Krawcheck

Sallie Krawcheck é conhecida como uma das mais poderosas mulheres de Wall Street nos dias que correm. Krawcheck começou por trabalhar como analista de capitais numa das mais prestigiadas empresas de Wall Street, tendo posteriormente assumido a liderança da Smith Barney do Citigroup, que em 2009 passou a Morgan Stanley Smith Barney dedicada à gestão de fortunas. Nesse mesmo ano Krawcheck tornou-se presidente do Merrill Lynch Wealth Management, onde conseguiu um lucro de 3,1 mil milhões de dólares (2,9 mil milhões de euros) em dois anos.

Krawcheck deixou o mundo corporativo para criar a sua própria empresa, a Ellevest, dedicada à consultoria de investimentos para mulheres. O objetivo de Krawcheck é que o mundo do investimento deixe de ser maioritariamente dominando por homens.

Barbara Corcoran

Provavelmente conhece-a do painel de investidores da edição norte-americana do programa de televisão Shark Tank, mas Corcoran é investidora há muito mais tempo.

Corcoran é hoje uma das maiores mulheres no ramo do imobiliário, cujas origens são humildes. Corcoran  deixou o posto de empregada de mesa num restaurante, para, com 1000 dólares (945 euros) emprestados pelo então namorado começar a sua imobiliária em Manhattan, que fez cresceu até formar o grupo Corcoran, que mais tarde vendeu por 66 milhões de dólares (cerca de 62 milhões de euros). De seguida criou a Corcoran Venture Partners, tendo investido em mais de 30 empresas durante a sua participação no Shark Tank. Corcoran é ainda uma oradora motivacional, tendo escrito livros muito aclamados pelos leitores.

Gail Kelly

Gail Kelly, ex-CEO da Westpac, Austrália, foi nomeada em 2014 pela Forbes como a 56ª mulher mais influente do mundo. Em 2002, Kelly tornou-se a primeira mulher a assumir um cargo de CEO num grande banco da Austrália e, em 2005, a mulher mais bem paga numa empresa no país.

Dinheiro à parte, Kelly focou-se em trazer mais mulheres para o mundo empresarial, tendo conseguido uma representação de 40% nos 4 mil cargos de gestão da Westpac. Este ano Kelly pretende elevar a fasquia e terminar 2017 com uma representação de 50% na empresa.

Arlene Dickinson

Arlene Dickinson é hoje vista como uma das mais bem-sucedidas mulheres de negócios no Canadá. Com uma carreira de sucesso e várias indústrias no currículo, foi a percursora da comunicação empresarial no Canadá, com a Venture Communications, que ajudou a tornar numa das empresas líderes do setor no país. Dickinson é considerada uma das mais conhecidas mulheres no mundo do investimento, graças à sua participação no programa de televisão canadiano Dragon’s Den, semelhante ao Shark Tank, entre 2007 e 2015.

Em 2012 lançou a Arlene Dickinson Enterprises, com o objetivo de identificar e investir em empreendedores emergentes do Canadá. Dickinson é ainda filantropa, escritora, oradora e presença habitual na televisão, tendo recebido diversos prémios e integrado a lista das 100 mulheres mais poderosas do Canadá.

Mary Callahan Erdoes

Mary Callahan Erdoes, outro nome sonante em Wall Street, é CEO da J.P. Morgan Asset Management, gerindo perto de 2 triliões de dólares (perto de 1,9 triliões de euros) de ativos de clientes. Erdoes foi a primeira mulher a graduar-se em matemática na Georgetown Univeristy. Em 2015 bateu o recorde de retorno dos investimentos com 12,5 mil milhões de dólares (cerca de 11,8 mil milhões de euros).

Como muitas das mulheres de topo no mundo do investimento, também Erdoes deseja trazer mais mulheres para este mercado, tendo começado o programa J.P. Morgan Re-Entry, que visa trazer mulheres que trabalhavam no setor financeiro antes de o terem abandonado para começarem as suas famílias. Erdoes foi incluída pelo Business Insider na lista das 25 mulheres mais ponderosas de Wall Street.

Lubna Olayan

Lubna Olayan, da Arábia Saudita, que ocupa o 65ª lugar da lista das mulheres mais poderosas da Forbes de 2016, segue as pisadas da sua família. O seu pai criou em 1947 a Olayan Financing Company (OFC), uma das empresas líderes no país a operar no mercado do investimento bolsista, especializada na manufatura, distribuição e, claro, no investimento. A empresa, liderada por Lubna, tem previsto alcançar um retorno do investimento de 7 mil milhões de dólares (6,6 mil milhões de euros), mantendo-se num mundo tradicionalmente masculino onde foi durante 18 anos a única mulher entre os seus 4 mil colaboradores.

Lubna tem vindo a quebrar barreiras na Arábia Saudita, contando hoje com 400 mulheres na equipa da OFC, ao mesmo tempo que consegue manter-se dentro das normas culturais do país. É também conhecida por ter sido a primeira mulher a fazer um discurso de abertura numa conferência na Arábia Saudita.

Debra Cafaro

Debra Cafaro é um nome a ter em conta no setor do imobiliário. Cafaro é CEO da Ventas Inc, um fundo de investimento no imobiliário, com foco na gestão de propriedades nos EUA, Canadá e Reino Unido ligadas aos cuidados de saúde. Antes de ter integrado a Ventas, era advogada, onde ganhou experiência no setor legal ligado ao imobiliário, empresarial e mercado financeiro.

Quando em 1999 Cafaro foi nomeada CEO e presidente da Ventas, esta encontrava-se a braços com uma difícil situação financeira e com um valor estimado no mercado de cerca de 200 milhões de dólares (cerca de 189 milhões de euros). Graças a Cafaro, a Ventas está hoje avaliada em 30 mil milhões de dólares (perto de 28 mil milhões), tendo esta sido integrada por dois anos seguidos na lista dos 50 CEO mais bem-sucedidos no mundo pela The Harvard Business Review.

Comentários