Sabia que a 500 Startups investiu 100 mil de dólares (cerca de 95 mil euros), em 2011, na Talkdesk? E que voltou a repetir o feito em 2014, ao entrar numa ronda de investimento na start-up portuguesa? Conheça mais sobre esta aceleradora e investidora de Silicon Valley.

Para quem ainda não ouviu falar da 500 Startups, que tem no seu portefólio a portuguesa Talkdesk, trata-se de uma empresa global de investimento de capital semente, bem como uma aceleradora de start-ups sediada em Silicon Valley, com 300 milhões de dólares (cerca de 282 milhões de euros) sob a sua gestão, em quatro fundos diferentes e 13 microfundos.

Desde 2010, já investiram em mais de 1400 start-ups tecnológicas por todo o mundo, como a Intercom, a Talkdesk (investiram 100 mil dólares de fundo semente em 2011 e entraram numa ronda de investimento de 3 milhões de dólares em 2014), a Punchd (adquirida pela Google), 9GAG, ToutApp, BrightNest (adquirida pelo Angie’s List), Chalkable (adquirida pelo STI), Le Tote, RealtyShares, TouristEye (adquirida pelo Lonely Planet), Shippo, Havenly, entre outras.

Com uma equipa com mais de 150 pessoas em 20 países diferentes, têm investimentos em mais de 60 países, contando com uma equipa de investidores e uma rede de networking com conhecimento operacional em empresas como a PayPal, o Google, o Facebook, o Instagram, o YouTube, a Yahoo, o LinkedIn, o Twitter e a Apple.

Quanto a áreas de investimento, a 500 Startups sempre investiu muito em empresas B2B, onde podemos encontrar algumas das investidas mais bem-sucedidas do seu portefólio, como a portuguesa Talkdesk.

A moda e a cosmética é outra das apostas da 500 Startups, tendo investido em empresas como a Ipsy, a Le Tote, a TheRealReal e a Tradesy.

Em termos de programas, dinamizam o 500 Seed que tem como foco o marketing digital e a aquisição de clientes, o design e a usabilidade, bem como práticas e métricas de lean start-up em três cidades: São Francisco, Mountain View e a Cidade do México.

No que diz respeito a investimentos elevados, desenvolvem o programa 500 Series A, que aposta no marketing e no investimento para empresas em crescimento, em fases pós-sementes e pré-série A e que é desenvolvido em vários pontos do mundo.

Ao nível do acelerador, têm programas em São Francisco e Silicon Valley quatro vezes por ano, com foco no marketing digital e na aquisição de clientes, no design e na usabilidade, bem como em práticas e métricas de lean start-up.

Nos programas de aceleração, a 500 Seed tem como regra investir 150 mil dólares (cerca de 141 mil euros) em cada start-up selecionada, que lhes cede 6% do capital. Existe ainda um custo fixo de participação no programa 500 Seed de 37.500 dólares (cerca de 35 mil euros).

O último programa terminou recentemente, tendo tido como foco principal as start-ups médicas, as fintech e start-ups que fornecem tecnologia e que dão resposta a ineficiências governamentais. Mais de um terço das start-ups aceleradas vieram de fora dos EUA.

Conheça algumas das start-ups do último 500 Seed:

AllVirtuous — Plataforma de investigação sob solicitação, para o combate aos produtos de contrafação através do crowdsourcing.

Alta5 — Uma plataforma automática de condução de eventos, para negociação nos mercados financeiros.

BenRevo — Liga digitalmente as seguradoras às mediadoras e aos funcionários.

Bloom Credit — Recorre a uma abordagem impulsionada pelos dados recolhidos, para melhorar a saúde financeira e a elegibilidade dos que requerem empréstimos bancários.

Boon — Uma rede de recrutamento por referências, que ajuda as empresas a contratarem talentos entre as redes de contactos dos seus funcionários.

Cadence — Uma aplicação que liga intérpretes com empresas.

Clanbeat — Uma ferramenta de feedback contínuo, para avaliações de desempenho mensais, pensadas para os gestores.

Court Buddy — Uma plataforma tecnológica que liga os utilizadores a advogados, em função do orçamento que têm disponível.

Digital Mortar — Registo completo de clientes, para retalhistas de tijolos e argamassa.

EquitySim — Desenvolve os estudantes na negociação em mercados financeiros e recorre a inteligência artificial, para os relacionar com os empregadores.

FinCheck — Um robot de conversação financeira.

FriendlyData — Uma interface em linguagem natural para bases de dados.

Funderful — Software de angariação de donativos para universidades.

Govlist — Otimiza as compras governamentais, através da automatização de documentação e a sua análise.

Halo Home — Segurança inteligente para casas.

Hyphen —Uma plataforma de inteligência artificial que “ouve” empregados anonimamente e em tempo real, e emite recomendações à direção e recursos humanos.

Modern AlkaMe — Uma plataforma de monitorização e localização que otimiza o seu bem-estar e rotina de suplementos.

Mycroft — Uma alternativa em código aberto ao Siri e ao Alexa.

Numina — Uma plataforma de deteção que utiliza a visão por computador, para fornecer informação das ruas em tempo real e tornar as cidades mais reativas.

Optimity — Reduz custos desnecessários de reclamações de medicamentos para os empregadores, através de um programa digital de coaching de saúde.

Orderly Health — Um acompanhante desenvolvido por inteligência artificial, que ajuda os empregados a potenciarem a sua saúde.

Preteckt — Uma solução de hardware e software que, através de inteligência artificial, prevê quando um veículo irá avariar, de forma a evitarem-se mais custos.

Regard — Um seguro online que permite a particulares receberem um montante financeiro, quando estão demasiado doentes ou feridos para trabalharem.

SentiSum — Uma solução de análise que recorre à inteligência artificial para ajudar os empresários a alavancarem toda a informação sobre a opinião dos seus clientes.

Shoelace — Um assistente de inteligência artificial que ajuda as empresas de e-commerce a lançar campanhas de redirecionamento nas redes sociais.

Skeyecode — Um software de autenticação, baseado numa nova forma de encriptação da informação.

Text To Ticket — Paga aos utilizadores que submetam vídeos, em que tenham apanhado pessoas a conduzir e a escrever no telemóvel ao mesmo tempo.

TopDocs — Uma plataforma de software destinada a potenciar o retorno financeiro decorrente do turismo médico.

UrbanLogiq — Aplica a análise por inteligência artificial, para tornar o planeamento urbano mais rápido, económico e mais preciso.

WellTrack — Terapias com requisição online para o stress, ansiedade e depressão, que permitam o acesso aos cuidados de saúde mental.

Win-Win — Uma plataforma de jogos desportivos, em que os utilizadores jogam em torneios semanais, cujo prémio é uma experiência com o seu atleta ou personalidade preferida, sendo que o valor pago para poderem competir reverte para instituições de caridade.

YayPay — Inteligência artificial para acelerar o fluxo de caixa e automatizar faturas a receber.

VIA Global Health — Plataforma que liga pessoas em mercados emergentes a prestadores de cuidados médicos que, de outra forma, lhes seriam inacessíveis.

Smile Identity — Liga documentos de identificação a uma “selfie inteligente” do utilizador, criando um perfil biométrico universal, para autenticação em qualquer dispositivo android.

Comentários