Normalmente, as empresas questionam-se sobre como podem motivar os colaboradores a trabalharem mais, serem mais produtivos, a fazerem mais… Mas também há o reverso da medalha.

O que fazer quando um colaborador está a trabalhar demasiado? Sobretudo, quando se pode cair na armadilha de estar a exigir mais do que é suposto e correr o risco de perder produtividade e, no limite, ficar sem os melhores funcionários que acabam por procurar uma situação profissional melhor.

Afinal quantas horas são demais? Estudos recentes apontam para que trabalhar mais de 50 a 55 horas por semana pode comprometer a saúde dos funcionários e causar baixar a produtividade. Contudo, isto pode não se aplicar a todos porque as pessoas têm caraterísticas diferentes e têm de ser tratadas individualmente. Como destrinçar, afinal, o perfil da sua equipa e se está, ou não, a sobrecarregá-la com excesso de trabalho? Sugerimos algumas dicas para analisar a realidade da sua empresa.

Trabalhar noites, madrugadas e fins-de -semana…
Preste atenção às horas a que seus colaboradores entram e saem do trabalho. Na maioria dos casos, os sistemas de segurança podem fornecer-lhe essa informação. Se verificar que há um aumento do número de horas, talvez seja altura de analisar a carga horária dos funcionários. Lembre-se que há uma diferença entre uma maratona e um sprint. Ou seja, se por acaso tiver um negócio em que, ocasionalmente, se justifique realizar horas extraordinárias, pode ser aceitável pedir esse esforço aos colaboradores. Contudo, essa não deve ser uma regra e se o número de horas que os funcionários passam na empresa aumentar, reveja as suas atribuições.

Falhar compromissos familiares pelo trabalho
Se perceber que a equipa está a faltar aos compromissos familiares por causa do trabalho, porque sentem que não podem “roubar”horas à empresa, está perante um indicador de que estes se sentem sobrecarregados.

Profissionais emocionais
Quando as pessoas se sentem sobrecarregadas de trabalho, isso pode resultar em noites mal dormidas e aumento das dificuldades de relacionamento. E pode levar a aumento de stress no local de trabalho, ou seja, se os funcionários anteriormente vistos como pessoas racionais, começaram a sentir-se no limite, isso pode ser sinal de sobrecarga.
Da mesma forma, as pessoas que têm uma grande necessidade de agradar, podem exagerar devido ao medo de rejeição ou de fracassar. Podem sentir-se ressentidas e tornarem-se passivos-agressivos porque acham  que o seu trabalho duro está subvalorizado. Para contrariar este padrão, mostre apreço pelos seus colaboradores e pelo que estes aportam para a organização.

Qualidade diminui
À medida que os funcionários trabalham mais tempo, tendem a fazê-lo em tarefas  cada vez mais sem sentido. Há uma razão para os proprietários de fábricas no século 19 terem reduzido o número de horas de trabalho, primeiro para 10, posteriormente para oito. Descobriram que com essa alteração a produção aumentou enquanto o número de acidentes diminuiu. Estudos recentes comprovam estes resultados. A Harvard Business Review publicou alguns que estão em sintonia com o facto de que o excesso de trabalho causa quebra de produtividade. Se vir o número de erros aumentar na empresa verifique a carga horária dos funcionários porque pode ser que esteja aí na origem do problema.

Trabalho voluntário aumenta o volume de negócios
Os funcionários talentosos que são motivados e ambiciosos normalmente estão ansiosos para assumir tarefas adicionais ou demoradas. No entanto, se essas mesmas atribuições causam problemas com as suas obrigações familiares, não recebem promoções ou aumentos, ou se sentem-se subvalorizados, podem decidir seguir em frente. Fique atento aos sinais para evitar perder funcionários talentosos, mantendo cargas horárias dentro do razoável. Se constatar algum destes cinco sinais na sua empresa, equacione fazer alguns ajustes.

Comentários