Um dos mais ativos investidores australianos, que criou várias empresas e fez investimentos em mais de 30, partilhou as cinco dicas que o ajudarão a identificar a próxima start-up de sucesso.

Andrey Shirben é fundador e investidor em start-ups desde os 19 anos. Cofundador da Follow(the)Seed e criador da SYD Ventures, que investe em estádios iniciais de start-ups, o business angels australiano conta até hoje com mais de 30 investimentos realizados em start-ups.

Para este, é importante investir nas pessoas mais do que apenas numa ideia. Shirben confessa que procura, quando avalia uma oportunidade de investimento, se esta tem uma equipa muito experiente e com comprovada capacidade de execução.

O seu investimento mais recente foi a RiskWise Property Review, da qual também é fundador. Esta start-up está a revolucionar o investimento imobiliário, ao ser a primeira a oferecer uma projeção dos riscos e dos retornos de propriedades por toda a Austrália. A equipa conseguiu finalizar a tecnologia e lançá-la 6 meses antes do previsto, estando neste momento na sua primeira ronda de financiamento de 2,5 milhões de dólares (cerca de 2,3 milhões de euros) de capitais de risco e investidores privados, com um investimento mínimo de 50 mil dólares (cerca de 47 mil euros).

Shirben partilhou no Anthill cinco dicas que acredita serem capazes de o ajudarem a identificar a próxima start-up.

1. Procure uma equipa experiente e determinada

“O critério mais importante é que a equipa tenha dado provas das suas capacidades estratégicas e de execução, tendo uma experiência comprovada na indústria em causa. O sucesso de uma start-up depende muitas vezes da capacidade do(s) fundador(es) para atrair(em) uma equipa fantástica. Os investidores de risco financiam equipas não planos de negócios, uma vez que os planos podem mudar caso as condições de mercado se alterem e surjam novas oportunidades. Idealmente, a equipa sénior deve ter conhecimentos e competências em várias áreas de forma a poder abarcar na empresa uma eventual variedade de oportunidades”.

2. Encontre uma solução para um problema real

“Um fator crítico no sucesso de uma start-up é garantir que o negócio resolve um problema real, e não um imaginário. Limitar o foco num único problema com uma solução simples que dê resposta a uma lacuna no mercado é a melhor garantia para o sucesso. Por exemplo, a RiskWise Property Review identificou que as pessoas compram propriedades com base em previsões, conselhos e retornos hipotéticos, em vez de olharem para os factos. Para dar uma resposta a este problema, a start-up criou um algoritmo que combina dezenas de variáveis de investimento em propriedades com base em dados históricos e atuais e outro tipo de informações para avaliar os futuros riscos e retornos sobre determinada propriedade. Tal significa que os australianos podem hoje tomar decisões informadas sobre o investimento imobiliário.”

3. Rever a visão de longo prazo e o plano de execução de curto prazo

“Um negócio que consegue articular a sua visão de longo prazo e demonstrá-la no plano de execução de curto prazo é a mais capacitada para alcançar o sucesso. É mais eficaz quando a equipa consegue agir rapidamente nos objetivos de curto prazo para, quando conjugadas, atingir os objetivos de longo prazo. Na minha experiência, as equipas que adotam uma filosofia de “não há desculpas” face à visão global são as que se tornam líderes no seu setor de mercado na Austrália e globalmente são muito mais propensas a ter sucesso e a prosperar”.

4. Garantir uma sólida compreensão do público-alvo e do mercado

“Um dado negócio deve saber quem é o seu público-alvo e como conseguirão alcançá-lo eficientemente. Tal inclui a identificação da idade, sexo, localização geográfica, estrato socioeconómico e outras informações dos segmentos de clientes que estarão mais interessados em comprar o produto ou serviço em causa. Consegue a equipa demonstrar que compreende e pode satisfazer as necessidades atuais e futuras dos seus clientes?”.

5. Verificar se se trata de um “produto muito viciante”

“Ter um produto muito viciante pode facilmente levar uma start-up ao sucesso e valer o investimento. Descubra para que serve o produto e a experiência que o cliente tem com o serviço que está a ser proporcionado. Também é importante saber quanto custa o produto ou serviço e como este vai gerar rentabilidade. É crucial ver se a empresa também está focada no futuro, em movimentações que possam surgir no setor. Se não conseguem antecipar o que virá a seguir estão destinados a ficar para trás e o investimento pode não valer a pena. Os empresários mais bem-sucedidos são aqueles que conseguem prever o que está a chegar e conseguem adaptar-se e evoluir”.

Comentários