As mulheres negras empreendedoras fazem parte do grupo de mulheres detentoras do seu próprio negócio com mais rápido crescimento.

Regra geral, as mulheres negras enfrentam um sem número de desafios nos negócios. No entanto, enquanto muitas outras mulheres têm e estão a dar passos significativos no mundo dos negócios, elas ainda enfrentam obstáculos aparentemente intransponíveis como empreendedoras. Isso está refletido na reduzida percentagem de mulheres como investidoras-anjo (menos de 20%), VC (menos de 10%) e como líderes de start-ups (5 %).

Apesar disso as empresárias negras estão no grupo de empresas dirigidas por mulheres que mais crescem. Existem mais de 1,5 milhões de negócios pertencentes a mulheres negras. De acordo com o relatório 2016 State of Women-Owned Businesses, oito em cada dez empresas iniciadas desde 2007 foram lançadas por mulheres de cor.

Aqui ficam alguns exemplos dos duros desafios que muitas, se não todas, mulheres empreendedoras de cor enfrentam.

1 – Preconceitos no mundo dos negócios

Muitas mulheres cor dirão que ainda enfrentam um duplo viés devido à raça e ao género. Isso, por sua vez, cria dificuldades quando se trata de obter financiamento, chegar a potenciais parceiros ou até fazer networking.

2 – Falta de representação

Muitas vezes, as mulheres de cor são as únicas em reuniões de negócios. Frequentemente lutam sozinhas em indústrias e negócios dominados por homens. Como tal, têm constantemente de provar o seu valor, qualificações e motivação.

Isto é especialmente relevante para as mulheres de cor que estão a começar e a entrar no empreendedorismo. Geralmente, acham a falta de representação intimidante e desanimadora.

3 – Desafios de networking

Os eventos de networking contam com pouca participação de mulheres de cor e, se as houver, também podem impedir que façam os contactos certos. Tudo pode parecer como um “clube de rapazes” em que é difícil entrar. É precisamente a falta de acesso a este network, para além de não terem as ferramentas e os recursos adequados, que pode impedir que empresas perfeitamente viáveis sobrevivam e prosperem.

4 – Falta de mentoring

mentoring é um recurso valioso que beneficia muitos negócios, especialmente nos estágios iniciais. No entanto, tendem a existir menos oportunidades de mentoring disponíveis para empreendedoras, em geral. De acordo com a Inc., 48% das mulheres empresárias carecem de mentores e conselheiros.

Para as mulheres de cor, a lacuna é ainda maior como resultado de preconceitos e oportunidades limitadas de networking. É aqui que as redes voltadas para mulheres, como a Ellevate Network, ou eventos como a conferência WIN, podem fazer toda a diferença.

5 – Falta de acesso a capital e financiamento

De acordo com um estudo recente da Fundera, “as mulheres empreendedoras recebem empréstimos menores em todos os produtos, dos mesmos grupos.” As mulheres empreendedoras que procuram capital de risco também não parecem sair-se melhor. Pesquisas confirmam que os investidores preferem pitches de empreendedorismo com homens.

Para as mulheres das minorias, as chances de conseguirem fontes tradicionais de financiamento, como empréstimos, podem igualmente ser diminutas ou quase nulas. De fato, de acordo com a Minority Business Development Agency (MBDA), as proprietárias de raça negra de pequenas empresas têm mais chances de ver um pedido de crédito negado do que outros proprietários de pequenas empresas.Também tendem a pagar taxas de juros mais altas do que as empresas não minoritárias. Como resultado, poucas são as mulheres empreendedoras de cor que se candidatam a empréstimos.

Comentários