Em causa está o problema do estacionamento na cidade do Porto. As inscrições estão abertas até sexta-feira, dia 16 de fevereiro.

O Embers quer resolver os problemas de mobilidade da cidade do Porto, tal como de Colónia (Alemanha) e Trikala (Grécia). Vão ser alocados 30 mil euros aos projetos que conseguirem resolver as dificuldades de circulação de cada uma destas zonas urbanas.

O dinheiro será utilizado para o desenvolvimento tecnológico das soluções apresentadas. No caso do Porto, a questão a ser resolvida é a falta de estacionamento na zona metropolitana. No início deste ano, o presidente da Ordem dos Engenheiros/Norte (OERN), Poças Martins, explicou que é importante haver uma decisão política para resolver o problema do trânsito na cidade. Na sua opinião, uma das soluções para melhorar a mobilidade da cidade passa por criar mais estacionamento ao pé das estações de metro.

Para aumentar a qualidade de vida dos cidadãos, o Porto está a trabalhar em sistemas que permitam fazer um melhor aproveitamento dos espaços de estacionamento disponíveis na cidade.

Com este desafio em vista, a Embers propõe cinco pontos para melhorar a cidade:

-Ter uma visão geral mais abrangente dos lugares de estacionamento disponíveis na cidade;
– Permitir fazer uma pré-reserva dos espaços;
– Dar acesso a uma app que permita fazer o pagamento do parque;
– Informação em tempo real da ocupação dos lugares de estacionamento;
– Direcionar o utilizador da app até ao lugar de estacionamento vago.

O projeto vencedor vai usufruir de 30 mil euros e assegura a proteção da propriedade intelectual desenvolvida. Garante ainda a entrada no mercado das smart cities e ganha relevância no mercado europeu.

O Embers é uma iniciativa subsidiária do programa europeu Horizon 2020. O foco é desenvolver projetos que se adequem e potenciem a mobilidade das cidades europeias, tornando-as assim em smart cities.

Mais informações e inscrições.

Comentários