Jager McConnell, CEO da CrunchBase, esteve ontem na Web Summit, onde partilhou algumas maneiras de os empreendedores melhorarem as suas apresentações, de forma a captarem investimento com maior eficácia.

Sendo o CEO de uma das maiores bases de dados de start-ups do mundo, que também ela serve oficialmente de apoio a uma das maiores publicações online sobre tecnologia, a TechCrunch, Jager McConnell conhece as melhores e as piores maneiras de uma start-up se “vender” a um investidor.

Eis alguns erros crassos, que talvez esteja a cometer, que podem melhorar substancialmente o seu pitch, segundo o CEO da CrunchBase:

  1. Manter o conceito da start-up simples: não há muitas coisas piores do que um empreendedor que não sabe definir o seu projeto sucintamente. Esta situação é facilmente evitada se se focar no básico e não complicar algo que pode ser bastante simples.
  2. Texto ilegível: Por norma, anexado ao pitch vem sempre uma apresentação. O objetivo desta é cativar o grupo de pessoas que a está a ver, por isso, uma das piores maneiras de perder a atenção da sua audiência é ter slides com bastante informação difícil de ler. Note-se que a dificuldade de ler pode não só estar associada ao tamanho ou tipo de letra, mas também à quantidade de informação que é exposta.
  3. Uma apresentação visualmente confusa: Parta do principio que os slides que está a mostrar pretendem acrescentar algo à sua apresentação. Não coloque imagens só porque parecem bem ou porque leu em algum lado que o tem de fazer. Utilize as imagens como uma maneira de acrescentar valor à sua apresentação, preferencialmente se estas conseguirem representar o que teria de ser dito em várias palavras. “Mantenha a informação nos bullet-points [pontos-chave] e não confunda o investidor”, referiu o CEO da CrunchBase ao apresentar este ponto.
  4. Muitas palavras: Utilize o mínimo de palavras possível. Quanto mais palavras tiver na sua apresentação maior vai ser a dificuldade que os investidores vão ter de reter a informação. O ponto anterior complementa este, se poder utilizar imagens para descrever o que quer transmitir.
  5. Tenha atenção à sua audiência: Este é outro dos grandes erros que os empreendedores podem cometer. Não ter consciência de quem é a sua plateia vai dificultar a transmissão da mensagem. Caso tenha tempo e conhecimento das pessoas que têm potencial interesse no seu projeto, pode conduzir uma apresentação personalizada para os seus potenciais investidores.
  6. Muitas palavras que não servem para nada: Foi assim que Jager McConnell descreveu as apresentações que usam palavras caras, muitas vezes dificilmente percetíveis pelos próprios investidores. A ideia a retirar deste ponto é que os investidores não o vão valorizar mais por a sua apresentação ser mais prolongada e/ou complexa.
  7. Métricas estranhas: As métricas são importantes, mas não as deve utilizar “só porque sim”. Estas devem ser utilizadas para – mais uma vez – para acrescentar valor ao seu pitch. Neste ponto, o CEO da CrunchBase aconselhou ainda os empreendedores a serem transparentes em relação aos dados/números que mostram aos investidores porque, mesmo que estes não sejam apresentados no pitch, os potenciais interessados no seu projeto vão acabar por descobrir.
  8. Autopromoção: A ideia de que os investidores muitas vezes investem nos empreendedores e não nos seus projetos está certa. No entanto, não deve tentar vender demasiado a sua imagem. Não promova demasiado a sua imagem, mas sim as suas ideias. Mostrar o seu background não é mal pensado, mas faça-o de uma forma sucinta e de maneira a que entre em conformidade com a sua apresentação.
  9. Vídeos de demonstrações: McConnell adianta que é preferível fazer tudo ao vivo, principalmente as demonstrações. Isto não só torna tudo bastante mais autêntico e dinâmico, como também evita falhas da tecnologia (como a falta de som ou de imagem do vídeo).
  10. Não adormeça os investidores: “Façam a vossa apresentação interessante e divertida”, explicou McConnell ao introduzir este tema. Até pode ter um produto ou um serviço revolucionário, mas se não conseguir atrair a atenção dos investidores para a sua apresentação não vai conseguir lançar a sua ideia.

Leia também: “Carlos Moedas anuncia a capital europeia da inovação“.

Comentários