Conheça dez firmas de capital de risco que podem investir na sua start-up.

O levantamento de capital continua a ser uma das grandes dificuldades das start-ups. Um estudo do ano passado, que incluiu mais de mil equipas, chegou à conclusão de que a falta de dinheiro é a principal causa de “morte” deste tipo de projetos.

No entanto, nunca existiram tantos veículos de investimento disponíveis para start-ups europeias. Em 2018,, segundo a plataforma Pitchbook, foram investidos perto de 20,5 mil milhões de euros no ecossistema. Isto, a par das mega rondas superiores a 100 milhões de euros que mostram que existe capital e interesse por parte dos investidores nos projetos  provenientes de países europeus.

Ainda assim encontrar o parceiro ideal neste domínio pode ser complicado. Foi por este motivo que a EU-Startups reuniu dez firmas de capital de risco com foco no mercado B2C (business-to-client). Porque é importante não só encontrar quem esteja disposto a injetar capital no seu projeto, como também é fundamental atrair alguém que partilhe a mesma visão profissional e pessoal, missão e objetivos.

A lista que se segue inclui dez firmas de venture capital europeias que o podem ajudar no desenvolvimento do seu projeto:

Kinnevik

Com mais de 80 anos de experiência no mercado, a Kinnevik é um grupo de investimento sueco. É conhecida por ser uma das mais bem-sucedidas na Europa e um dos investidores principais na loja online Zalando. Mais recentemente, o grupo investiu 150 milhões de euros na Omio, antiga GoEuro, e 38 milhões de euros na TravelPerk.


Balderton Capital

Apresentado como sendo um dos principais veículos de investimento de early-stage do continente, a Balderton Capital só investe em start-ups europeias que têm a ambição de se tornarem globais e inovarem grandes indústrias. Alguns dos investimentos da firma passam pela MySQL e pela Net-a-Porter.


Lakestar

A Lakestar é um dos fundos de capital de risco mais conhecidos do mundo. Focado em empresas tecnológicas ou que operam através da Internet, este grupo investe em projetos em fases embrionárias e de crescimento. O portefólio da firma pode fazer inveja a qualquer investidor. Facebook, Spotify, Skype, Revolut e Omio são apenas cinco das dezenas de nomes que a Lakestar tem em carteira. Além dos escritórios na Europa (em Zurique, Berlim e Londres), a firma também está presente nos Estados Unidos e na Ásia.


Index Ventures

Também multicontinental, a Index Ventures, que está em São Francisco e Londres, apoia empreendedores dos quatro cantos do mundo. Contudo, a missão dos fundadores pretende mudar o mundo através das suas ideias. Entre os investimentos já feitos contam-se o SoundCloud, Dropbox, Squarespace e Just Eat.


Creandum

Diretamente de Estocolmo, a Creandum apresenta-se como um veículo de apoio às “empresas do amanhã” – as que ainda estão em early-stage. A par do Spotify, esta firma tem investimentos em mais de 75 start-ups. Klarna, Voi e Tide são apenas alguns dos nomes mais sonantes na carteira da equipa sueca.


Octopus Ventures

A “estender os tentáculos” entre Londres e Nova Iorque, a Octopus Ventures é uma VC que apoia start-ups em todas as fases de desenvolvimento. Estes investidores de capital de risco estão especialmente à procura de equipas nas áreas da indústria, dinheiro e saúde.


HV Holtzbrinck Ventures

A Holtzbrinck Ventures passou de um braço de investimento de uma empresa para uma firma de capital de risco independente. Nos seus quase 20 anos de atuação já geriu, deu mentoria e investiu em mais de 165 equipas. Alguns dos maiores sucessos do grupo passam pela Zalando, Delivery Hero, Flixbus e a SumUp.


Acton Capital Partners

Ao contrário das restantes, esta firma de capital de risco alemã apoia start-ups em fases de desenvolvimento mais avançadas. Contudo, esta venture capital procura projetos que tenham modelos de negócio sustentáveis desde o primeiro dia e que já estejam a gerar lucro.


Northzone

Também originária da Suécia, mas com quatro escritórios pela Europa, a Northzone está no mercado à procura dos melhores fundadores desde 1996. Os investidores deste grupo já contam com mais de 130 projetos em portefólio entre os quais a Trustpilot, Klarna, TIER Mobility e, claro, o Spotify.


btov

Igualmente criada antes da bolha da Internet, esta VC procura especialmente start-ups nas áreas de software e hardware com aplicabilidade na indústria, na segurança e energia. A btov, que significa “BrainsToVenture” já apoiou empresas como a Blacklane, Outfittery, Urban Sports Club e a Raisin.

Prefere business angels? Confira uma lista de 40 business angels europeus.

Comentários

Sobre o autor